políticas de mobilidade urbana: um não-país.

Prefeitos do Brasil não se preocupam efetivamente com políticas de mobilidade. o País é uma República de Bananas. Dória será mais um desses aí.

experiência do usuário vs design. design feito por quem não conhece o usuário para quem projeta.

experiência do usuário vs design. design feito por quem não conhece o usuário para quem projeta.

Joaquim Barbosa diz que somos uma república de bananas (clique no link e leia entrevista). E somos mesmo uma republiqueta.

Isso transforma também cada rincão do país. Pois não há espaço para construções sólidas nas republiquetas de bananas. Nada funciona. Não há planejamento de longo prazo. E aí todos só administram os perrengues do cotidiano. Como foio governo Kassab em São Paulo: empurrando com a barriga…

Para entender: aumenta o número de atropelamentos na esquina, o que faz o poder público? Enche o ponto onde os atropelamentos ocorrem de gradis para impedir a movimentação de pedestres. Não estuda o local dentro de um contexto maior de mobilidade a pé. Continuar lendo

1,70m e abaixo

uma grande parte dos brasileiros e brasileiras tem altura abaixo dos 1,70m pensemos em algumas soluções para pedalar.

menina pedalando bicicleta grande demais para ela.

menina pedalando bicicleta grande demais para ela.

as 29ers são apenas para pessoas de 1,80 e acima. é fato. eu tenho 1,70, pernas longas, braços longos e tronco curto. nunca achei uma 29er de qualquer marca que tivesse pelo menos 57 ou 58 cm de comprimento no tubo superior efetivo, que é o que importa nas medidas do quadro.

aliás, muitas bicicletas 29ers vendidas como tamanho 15 ou 16 polegadas e com comprimento das bicicletas MTBs de aro 26 de 18 ou 19 polegadas de tamanho. e o cinismo de alguns vendedores: um tentou me convencer que era uma questão de eu mudar minha “filosofia de fit”. pedi que explicasse essa “filosofia de fit” ao meu ombro zoado por 3 atropelamentos e diversas lesões…. Continuar lendo

Dória gastará 300 milhões para aumentar as velocidades das Marginais em SP. os 400 km de ciclovias custaram 80 milhões.

Ciclovias  salvam vidas. Velocidade mata.

veículo ond eo ator Paul Walker (Velozes & Furiosos) morreu carbonizado após uma colisão em alta velocidade.

veículo ond eo ator Paul Walker (Velozes & Furiosos) morreu carbonizado após uma colisão em alta velocidade.

João Dória gastará 300 milhões de reais para elevar o limite das velocidades máximas nas Marginais de São Paulo, segundo informou o Jornal “O Estado de São Paulo, nesse link aqui (abra em aba privativa).

Para recordar, os 400 km de ciclovias e ciclofaixas construídos em São Paulo custaram 80 milhões de reais. E esses 80 milhões de reais foram amplamente questionados pela mídia (como esquecer a capa da Vejinha tratando do assunto?), pelos políticos irresponsáveis (quem não lembra das declarações de Andrea Matarazzo e outros tucanos da época?) e mesmo pelo Ministério Público (a se lembrar da ação promovida pela promotora Camila Mansour Magalhães da Silveira, que chegou a parar as obras durante alguns meses). Continuar lendo

Trump, Temer, Dória…. e a bicicleta esmagada.

Quando os grandes se mexem, os pequenos sofrem. Um pequeno movimento do elefante e milhões de formigas são esmagadas.

Mapa da antiga Rota da Seda. Os caminhos por mar ainda são percorridos pra levar produção chinesa para Europa, e assim Shimano chega na Alemanha.

Mapa da antiga Rota da Seda. Os caminhos por mar ainda são percorridos pra levar produção chinesa para Europa, e assim Shimano chega na Alemanha.

A eleição de Donald Trump para presidente dos EUA (com apenas 25% dos votos dado o alto índice de abstenção), o golpe que levou Michel Temer à presidência deste país aqui (eleito apenas par aser vice, assumiu sem ser eleito pra tanto), a eleição em primeiro turno de João Dória à prefeitura de São Paulo (com votos em número inferior às abstenções…) vão impactar o uso das bicicletas não apenas em São Paulo, no Brasil ou no mundo.

No mundo antigo o Império Romano não era apenas uma estrutura de poder. Era policêntrico, com várias capitais. Latim e grego eram línguas oficiais, dependendo de que lado do Império se estava, mas conviviam com línguas locais. Os pobres, a massa, só falava a língua local, as altas classes dominavam 2 ou 3 línguas. Continuar lendo

Avelleda nos transportes em SP: boa notícia. Será?

João Dória Jr nomeia Sergio Avelleda como Secretário na Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo, o que parece uma boa notícia, pois Avelleda usa a bicicleta frequentemente. Mas será mesmo uma boa notícia?

Avelleda com Renata Falzoni, em foto publicada no seu perfil no Facebook.

Avelleda com Renata Falzoni, em foto publicada no seu perfil no Facebook.

Nas passagens de Sérgio Avelleda no Metro-SP e CPTM, permitiu-se o acesso de bicicleta em trens e metrôs, e também construiu-se a ciclovia do Rio Pinheiros.

Avelleda também circula diariamente em sua bicicleta. Usa-a coo transporte frequentemente.

O perfil no Facebook de Sergio Avelleda está na comunidade da Bicicletada-SP.  Já fez cicloturismo.

Tudo isso parece bom aos ciclistas, certo? Inclusive a mudança do nome da secretaria para “Transportes e Mobilidade”.

Yep! Mas olhemos com cuidado. Lembre sempre de dois ditados: “uma andorinha só não faz o verão” e “se tem que tirar a cascavel do buraco, use o braço de outra pessoa.”. Continuar lendo

a bicicleta e o resto do mundo

promover políticas de transporte por bicicleta ou a pé são formas de causar menos incômodo e degradar menos o mundo.

vivemos o antropoceno. a era em que a força que mais muda o ambiente, forçando a extinção de outras espécies, modificando o relevo, e mudando a atmosfera, e a espécie humana. todos nós temos responsabilidade por essas mudanças, para o bem e para o mal.

Arne Næss, um filósofo norueguês infelizmente já morto, juntamente com Félix Guattari, cunharam o termo ecosofia, um complemento à noção de ecologia profunda. na verdade, propõem que se viva em harmonia com o ambiente e não em confronto com ele.

não se trata de simplesmente voltarmos à caverna. mas de percebemos que não há hierarquia entre seres vivos. mas há uma espécie de equilíbrio dinâmico. vide que assim que humanos se sedentarizaram e montaram grupos grandes, as doenças também se multiplicaram. é o equilíbrio dinâmico da natureza agindo. Continuar lendo

Dória será Trump, e não Bloomberg

o recém-eleito prefeito de São Paulo não apenas está mal assessorado e não entende nada de gestão de tráfego, com sequer compreende a diferença entre público e privado.

"eu não conheço n. york, só vou a orlando fazer compras"

“eu não conheço N. York, só vou a Orlando fazer compras”

Dória elegeu-se dizendo que aumentaria as velocidades máximas em São Paulo, para espanto dos profissionais de saúde do trânsito. e como afirmou que retiraria ciclovias “ruins”, ganho uma bicicletadinha pequena – 120 ciclistas apenas – na porta de sua casa no dia 5 de outubro. (claro, se um dia retirar uma ciclovia apenas, ganha uma bicicleta maior, uns 3 mil cercado seu veículo, por exemplo – e ele desconhece que 7 mil ciclistas param a cidade).

seus assessores passaram o resto da semana contatando quem eles conheciam no meio da bicicleta. não muita gente, óbvio. no sábado 8 de outubro, fizemos uma plenária do movimento, tomamos alguns encaminhamentos, sendo um deles de que não falamos com assessores, mas com o prefeito diretamente.

no próprio dia 08 à noite essa informação já tinha chegado ao prefeito eleito. seus assessores estavam em torno das 22 horas procurando seus contatos novamente, para que, no dia 09 de manhã houvesse uma pedalada de Dória com uns 3 ciclistas… formos em quase 30.

questionado, saía pela tangente. ora anuncia que não vai retirar ciclovias, ora anuncia que vai reformar as que tenham defeitos, ora anuncia que a iniciativa privada que vai pagar por isso (????) através de alguma forma de privatização (bicicleta pagando pedágio?). Continuar lendo