Arquivo da categoria: técnica

Cubo de 3 marchas internas!

Cubo de 3 marchas internas… Shimano Nexus, Sturmey-archer, Sram t3… Dá pra montar em um monte de configurações, experimente!

Cubo Shimano Nexus para freios a disco.

Cubo Shimano Nexus para freios a disco.

Assim, bicicletas compartilhadas do Iaú que chegaram no Brasil usam cubos de 3 marchas internas. Outras bicicletas compartilhadas ao redor do mundo usam esses cubos.

Na verdade, uma variedade incrível de bicicletas na história usam cubos de 3 marchas, cujo projeto inicial remonta ao início do século XX. Eles funcionam muito bem em quadros com gancheira horizontal, que são os quadros usados em bicicleta de marcha única, mais simples, vendidas por aí.

É, já pensou? Colocar 3 marchas na sua Barra Circular, na sua antiga Monark Brisa, Monaretta, Berlinetta, Barra Forte… Ou naquela dobrável que veio sem marchas? Continuar lendo

Até onde teria chegado a tecnologia das bicicletas de rua, se a UCI não atrapalhasse tanto?

é inegável que a tecnologia das pistas chega às ruas. não só a tecnologia,mas a estética também. e nesse aspecto, a UCI tem agido como um freio de mão puxado, barrando grandes inovações. vejamos algumas.

"Old Faithful", bicicleta que Graeme Obree usou em seu recorde da hora, leiloada em 214 noe-bay, atingindo10 mil libras.

“Old Faithful”, bicicleta que Graeme Obree usou em seu recorde da hora, leiloada em 214 noe-bay, atingindo10 mil libras.

Você talvez já tenha lido ou ouvido falar de Graeme Obree, o “escocês voador”, cuja história de recordes, anulados pela Union Cycliste Internationale, que considerou sua inovadora bicicleta, “Old Faithful” ilegal. Veja o filme, “O Escocês Voador”.  Assista e tenha uma vaga ideia do que a UCI tem feito pra impedir grandes inovações.

Continuar lendo

Caloi 10, Peugeot 10, Monark 10. o que fazer?

nos anos 70, no mercado brasileiro, americano e europeu, as indústrias deram a louca e passaram a vender um tipo de bicicleta com 10 marchas, peças baratas e quadros pesados de aço carbono. as pessoas enlouqueceram, comparam aos montes e elas estão aí até hoje. algumas dicas de como usar uma dessas bicicletas com um pouco mais de segurança.

O Bergolino feliz em suac10!

O Bergolino feliz em sua c10!

Steel is real“. Lebre disso. Enquanto da nova Caloi 10, de alumínio, pululam fotos na net de quadros quebrados, as “old ten” estão aí. Meu colega Cláudio Kerber rodou com uma variante dela na Europa e se apaixonou. Tinha guidões altos, era uma versão pra turismo.

E aí o detalhe. Essas bicicletas tem geometria para turismo, não para competição. Nunca forma bicicletas para competição, no então, o conforto…. Continuar lendo

APPs de rotas e a nova campanha contra o “JAYWALKING” ciclístico.

no começo do século XX, uma campanha de “segurança” “limpou” as ruas de pedestres e ciclistas para carros acelerarem. hoje, os aplicativos de rotas tiram os ciclistas de estradas com acostamento e os jogam para estradas secundárias, sem opção.

“Jaywalking”. A campanha que retirou pedestres, ciclistas e não-motorizados das ruas dos EUA.. Já ouviu falar? Pois sim, antes as ruas eram das pessoas, depois se tornaram dos carros apenas. Hoje no mundo inteiro é um parto explicar pra motoristas que a via é para todos. Como se vê no filme acima, de San Francisco, em 1906. Continuar lendo

é a aerodinâmica!

bicicleta e ciclista são um conjunto, e não pedalamos no vácuo. então a aerodinâmica influencia mais do que você imagina.

se você viu o videozinho acima, entendeu o truque do fixeiro para ultrapassar os speedeiros, deitou sobre a bicicleta, durante a descida. e assim melhorou sua aerodinâmica, diminuiu a resistência do ar.

pois é, numa bicicleta de quadro diamante, bicicleta comum, de montar sobre o selim, a à velocidade de 30 km/h a resistência do ar responde por cerca de 60% do seu esforço. claro, pode ser maior ou menor a resistência e acordo com a sua posição na bicicleta, existência de vento contra ou não e etc. Continuar lendo

TANDEM!

duas ou mais pessoas na mesma bicicleta! mais velocidade, mais peso, é tudo diferente!

nessa foto, meu avô, dois tio-s-avôs e um primo deles.  entre 1930 e 1940. meu tio avô Hempi à direita, foi quem fez essa longa tandem!

nessa foto, meu avô, dois tio-s-avôs e um primo deles. entre 1930 e 1940. meu tio avô Hempi à direita, foi quem fez essa longa tandem!

tandem é outro bicho. pense só nos problemas: montar um quadro longo que não parta no meio com o peso:  ligar uma pedivela à outra; montar rodas que aguentem o peso; ter freios pra lá de eficientes.

isso sem falar na pedalada cadenciada, com todos pedalando no mesmo ritmo. Continuar lendo

bicicultura 2016

quem foi tem uma vaga ideia do que foi o bicicultura 2016 em são paulo de tanta coisa que aconteceu. quem não foi só pode imaginar. 

a foto oficial onde estão quem chegou ao final. mas deveria ter mais umas 8 mil pessoas nessa foto, feit apelo josé renato bergo.

a foto oficial onde estão quem chegou ao final. mas deveria ter mais umas 8 mil pessoas nessa foto, feit apelo josé renato bergo.

e eu subi a augusta puxando um bonde pra bicicletada. quando chegamos ali na paulista, perto da praça do ciclsita, o casal de blumenau fez a cara de espanto. guilherme não falou nada, mas  a mariana arregalou os olhos e eu esperei ela soltar: “puta que pariu! quanto ciclista!“, mas não foi isso que ela falou. apenas comentou, entusiasmada, que nunca tinha visto tanto ciclistas juntos.

era a bicicletada internacional, do dia 27 de maio, inchada pela presença dos participantes do bicicultura de 2016. tava grandona…. como gosto, fechando a avenida paulista inteira! Continuar lendo