Arquivo da tag: bicicleta feminina

TALVEZ SEU QUADRO SEJA MUITO LONGO PRA VOCÊ.

Fit de bicicleta: tá aí um campo em que o brasileiro em geral encontra dificuldades, pois a indústria nacional parece produzir bicicletas e importar peças como se a estatura média da população fosse 1,80m e fôssemos todos japoneses.

timbiras, em foto de Curt Nimuendajú,c. 1910/1920. Observe as pernas não apenas musculosas, mas pernas longas e braços longos.

A cena é visível em todo domingo nas ciclofaixas de lazer em São Paulo: pessoas se esticando todas para conseguir segurar o guidão. Parecem todas terem comprado bicicletas muito grandes. Ninguém as assessorou na compra? É o que se pergunta num primeiro momento, para depois lembrar que na verdade não achamos bicicletas para grande parte de nós.

Nós, brasileiros em geral, não prestamos muita  atenção nas proporções do corpo. Fazemos medidas de circunferência, mas não olhamos a proporção das nossas pernas em relação ao nosso tronco. Continuar lendo

step-through!

você já deve ter visto por aí quadros de bicicletas com tubo superior do quadro bem baixo e curvo, ou eventualmente inexistente. mas sabe o porquê de existirem bicicletas assim? se pensa que é uma questão de estética, sinto dizer, errou.

ilustração de corrida feminina em velódromo. nada de quadros step-through, nem de saias: elas estão usando bloomers, antecessoras das calças compridas.

ilustração de corrida feminina em velódromo. nada de quadros step-through, nem de saias: elas estão usando bloomers, antecessoras das calças compridas.

no mundo da geometria das bicicletas, a forma segue a função dentro dos limites técnicos de fabricação do tempo em que o quadro foi produzido. assim, claro, não há como exigir de uma bicicleta dos anos 1940 as formas que os quadros de fibra de carbono atuais podem ter.

mas a necessidade também dita as geometrias das bicicletas. elas ditam as funções e formas de uso que terão. por isso touring bikes têm traseiras bem compridas de 46 cm, que podem deixá-las lentas em subidas, mas acrescentam um conforto fenomenal. e estradeiras, de competição, costumam ter traseiras de 40,5 cm ou até menos (minha khs aeroturbo tem 37 cm de traseira, do centro do eixo da pedivela ao centro do eixo da roda traseira, e por isso tem um tubo vertical curvo, que não está lá pra ser belo, mas pra permitir a traseira curta). e porquê tão curtas, se isso traz desconforto? pois quadros de traseira curta torcem menos, portanto são mais ágeis em subidas e sprints…. Continuar lendo

cecizona com marchas!

3 cecizonas e suas donas. pé no chão, sem sair do selim, só se for na guia e na pontinha do pé (moça da esquerda). senão, é problema no joelho na certa!

dentre os diversos tipos de bicicletas femininas, um em específico povoa o imaginário. são aquelas com quadro em U, normalmente mais pesado para manter a rigidez mínima para ser utilizável, não raro com um uma cestinha na frente.

Continuar lendo