Marginal Pinheiros virará praia de paulistano!

Um viaduto desbando. Imensos trechos interditados, quilômetros antes, quilômetros depois. Fui pedalar lá.

Pista central da Marginal Pinheiros vazia…. Só assim pra eu tirar uma foto dessas.

Pois é, um trecho de viaduto da Marginal Pinheiros em São Paulo desabou.

Pra quem não sabe, as Marginais compõem um dos anéis imaginados por Prestes Maia. O Rodoanel de São Paulo, passando basicamente por fora da cidade é o anel externo. Antes da sua construção, grande parte do trânsito de caminhões das estradas que aportavam na capital fazia-se pelas Marginais. Aliás, Marginais que compõem a SP-015, e não são meras avenidas.

Por isso, ficaram durante muito tempo sob gestão direta do DER, que idealizou suas pontes com acessos rápidos, que com o tempo acabaram impedindo pedestres e e ciclistas atravessarem por cima dos rios Pinheiros e Tietê. Só há poucos anos a gestão das pontes passou à municipalidade, como das Marginais.

Um degrauzinho e tanto….

A Marginal Pinheiros começa lá na Zona Sul, acompanha o rio Pinheiros e encontra-se com a ponta oeste da Marginal Tietê. Próximo a esse encontro, na pista que vai da Zona Sul em direção ao norte da cidade, há um viaduto longo, sobre linhas da empresa de trens, CPTM, e por baixo de onde também passa uma ciclovia.

São Paulo tem 185 pontes e viadutos construídos sob gestão da Municipalidade. São Paulo é uma cidade imensa. Por isso, há um corpo técnico que costuma ser estável: entra gestão, sai gestão, ninguém mexe em determinados cargos pois não há como colocar um comissionado ignorante no lugar de um técnico ultra qualificado. Esta é uma característica de uma cidade que tem o 3º PIB do Brasil, perdendo pra União e pro Estado de São Paulo, mas à frente dos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais (e olha que o Rio tem bacias de petróleo….).

Conforme o perito Catão Francisco Pinheiro, que já projetou mais de 4000 pones e viadutos, há um erro de projeto que demanda uma vigilância mais acurada sobre essa obra. Leia essa reportagem aqui onde ele detalha esses dados e questiona a vistoria feita há três meses….

A própria área da construção destas obras é área de várzea de rio aterrada. Instável por natureza. E por isso mesmo suscetível a problemas de vibração. E por isso todas as gestões anteriores prestavam atenção nestas obras…

E aí, por qual motivo caiu? Pro qual motivo caiu nessa gestão e não em gestões anteriores, de prefeitos de diversos partidos?

Então… Essa gestão inovou, afinal, o prefeito eleito se dizia não político, mas “gestor”. Um novo dono de empresa muda todo o quadro gerencial da empresa que compra. Faz parte da lógica empresarial. Mas e a administração pública? A Fundação Getúlio Vargas, que pode ser tudo, menos ser chamada de antro de comunistas, tem um curso de administração pública separado do curso de administração de empresas, que permite graduação também em economia ou direito, mas não em administração de empresas. Afinal, por qual motivo? Será que administração pública não seria bem diferente da administração de empresas? Pois é… pois é…

São Paulo tem histórico de problemas. Já caiu ponte, já teve viaduto interditado, mas nada nessa proporção. Aliás, pelo jeito o problema já se apresentava há algum tempo, conforme essa reportagem no site da Record.

Então. Teve uma vistoria há 3 meses…. Que não constatou problemas…

Mas essa gestão é diferente das anteriores, né? Todos os prefeitos anteriores eram políticos: Haddad, Kassab, Serra, Suplicy, Pitta, Maluf… E político, não importa o partido, é ineficiente, não é?

Bom, a gestão Dória/Covas chegou fazendo barulho. Substituiu o muro que cercava a Raia Olímpica da Cidade Universitária. Um muro de alvenaria que não custava nada foi substituído por um muro de vidro, com vidros que de vez em quando quebram e onde pássaros batem…. Da mesma forma, paredões de corredores viários, cobertos por belíssimos graffittis feitos gratuitamente pelos artistas, foram  cobertos por muros de plantas ora sem manutenção, por falta de pagamento do serviço… Ações de racional gestão dos recursos públicos, não é?

O fato é que cerca de 20 km da Marginal Pinheiros, da pista expressa, estão interditados. Alguns quilômetros serão liberados mais pra frente. Demorará muito tempo para o problema do viaduto ser resolvido. Até lá longos trechos estarão interditados. 5 pistas de rolagem de largura por quilômetros de comprimento. Área de lazer pra muita gente, por esse tempo. Pelo menos hoje, domingo 18 de novembro, tinha muita gente pedalando lá.

E esperemos pra ver quanto custará a obra pra corrigir isso. E que empresas participarão.

Mas  é São Paulo, gente, cidade e estado onde obras foram feitas  por um monte de empresas daquelas que apareceram na Lava Jato. Mas aqui elas sempre foram honestas, então não há o que se preocupar. 😉

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s