POR QUE CICLISTAS NÃO PARAM NOS SEMÁFOROS? POR QUE PEDESTRES ATRAVESSAM FORA DA FAIXA OU POR DEBAIXO DA PASSARELA?

Ah, com certeza você já se perguntou ou tentou responder uma dessas questões. E claro, talvez pensando como motorista, limitou-se a recriminar os comportamentos sem sequer parar um pouco para pensar sobre eles.

Viaduto do Chá, em São Paulo. Só depois de décadas a CET reconheceu que os pedestres iam fazer o caminho mais curto e pintou aquelas faixas em X do centro da imagem.

Lá no grupinho da Bicicletada-SP de vez em quando alguém tomou alguma fina involuntária de ciclista e tá lá cornentando. Na TV de vez em quando algum jornalista da classe média branca está lá criticando horrores os pobres de algum lugar que atravessam por debaixo da passarela. Você tá num táxi, e o taxista reclama de alguém que atravessou a rua fora da faixa de pedestres… E ninguém para pra efetivamente pensar por qual motivo pessoas tomam decisões que levam a essas atitudes, em frações de segundo, exigindo um grau de racionalidade que não exercemos nos atos comezinhos do dia a dia.

Por outro lado, se você é o pedestre e a faixa está lá a 100 metros de você e a via não tem aquele trânsito infernal, você olha prum lado,olha pro outro e atravessa.  Você faz o mesmo se acredita que dá pra atravessar a via sem precisar dar uma volta imensa, subir rampas ou escadas, e passa por debaixo da passarela.

Qual o motivo disso? É simples, o cérebro procura caminhos mais curtos. Passamos milhões de anos pensando assim e assim se moldou nosso cérebro.

o que você vê? pedestres rebeldes ou erro de projeto?

O seu cérebro toma essas atitudes não de forma racional e ponderada. Ele, em frações de segundos, levando em conta o que ele percebe da sua capacidade corporal de reagir, seja correndo, pedalando, pulando ou o que for, e você toma a atitude. Mesmo que isso implique num certo risco.

Por exemplo, a questão do ciclista que passa no semáforo vermelho, Comece a pensar não apenas no infligir a regra de trânsito. Pense oque significa para o ciclista parar e recomeçar: o gasto energético é bem maior. Além disso, perde-se o embalo, a inércia. Em terceiro lugar, sair junto com os carros normalmente é um risco bem grande, e daí o que está na bicicleta, numa fraçãozinha de segundo,dá um jeito de passar em algum espacinho na faixa de pedestre e cruzar sem ser pego por algum carro e continua naquela via por bem uns 200 ou 300 metros sem nenhum carro passando perto. Se não há algum impeditivo mais forte para que ele faça isso, ele fará.  Principalmente se sua bicicleta for uma fixa, que é uma bicicleta que acentua o efeito do embalo.

Agora volte pra imagem acima do caminho dos pedestres pela grama. O impeditivo maior seria uma grade bem alta.  Mas quantas grades não são retiradas por aí pra facilitar o ir e vir mais curto de pedestres que não querem dar a volta por onde o poder público quer que eles deem?

Dou um exemplo, sem foto, mas que quem frequenta a Oficina Mão na Roda no Centro Cultural São Paulo, na Rua Vergueiro, conhece. Para ir do CCSP ao outro lado da rua onde há bares e restaurantes, o normal é andar uns 200metros pra baixo e atravessar onde há um semáforo.  Pois a via contém uma ciclofaixa no seu centro, e bem no centro separando a pista que sobe da pista que desce, uma calçadinha estreitíssima com grandes em cima, para que pedestres não atravessem ali. Mas… ao instalar essas grades, ficou uma folga entre elas que permite que uma pessoa passe. Curiosamente, a folga que poderia estar mais pra cima ou mais pra baixo, ficou bem numa posição que permite um caminho bem curtinho…. E quem conhece, quando não tem trânsito mais forte, atravessa por onde? Adivinhe.

Agora, gaste ínfimos 2 minutos da sua vida vendo o vídeo abaixo de um cruzamento nas ruas de Amsterdam, que fica na Holanda, um dos países que mais presam pela segurança no trânsito.  Note os casos marcados em amarelo.

Mesmo lá há pessoas que estão agindo fora das regras preestabelecidas. Mas veja o vídeo uma segunda vez, com mais atenção, desta vez ignorando o pombo que atravessa no lugar errado, e olhando outros ciclistas e pedestres. Enquanto uma maioria está interessada apenas em seguir reto e segue a regra, outros tomam outras direções. Se notar bem, todos estão procurando os caminhos mais curtos.

Até o motorista mané tá procurando um caminho mais curto.

Mas isso é um desastre?  Não.

Pergunto, quantos casos de morte resultante de batidas entre pedestres você já ouviu falar? Claro que uma pessoa pode bater na outra, cair e bater a cabeça no chão de tal forma que morra. Mas é comum?

E mortos atropelados por ciclistas? Cerca de um ao ano em São Paulo, e até onde consegui ver estatísticas, sempre quem morre é um idoso. Meu palpite é que haja uma fragilidade maior, inclusive da cabeça, na pessoa mais idosa. E mesmo assim são casos raríssimos! E quanto são deslocamentos a pé ou em bicicleta temos em São Paulo? Somados, são a maioria….

Agora gaste mais 2 minutinhos da sua vida pra ver outro filminho holandês:

Notou o ciclista em cima da calçada, de blusa branca? os pedestres?

Onde quero chegar? Muito simples. As regras de trânsito mais recentes são pensadas basicamente A PARTIR do ponto de vista rodoviarista. Elas tentam transpor a lógica do transporte motorizado par aos não-motorizados. Efetivamente, muita gente pensa numa bicicleta como uma motocicleta sem motor….

Mas a lógica dos não motorizados é outra, portanto essas mesmas regras de trânsito deveriam contemplar essa outra lógica. Nesse sentido, favor notar a legislação californiana que permite que o ciclista, a seu cuidado, passar em semáforos vermelhos. Link para leitura e muitos comentários aqui.

O fato é que quando pensamos em regras de trânsito, não há lugar pra achismos. Dou um exemplo bem básico: se bicicletas andam bem mais devagar que motociclistas, por que muitos ciclistas capotam ao frear de repente com muito mais frequência que motociclistas? Parou pra pensar que a bicicleta é um veículo mais leve que ciclista e a motocicleta mais pesada que seu piloto? Isso sem falar no amortecimento da suspensão dianteira….

Carros precisam de muita barbeiragem pra capotar, bicicletas podem capotar em linha reta, basta haver uma frenagem de pânico na roda dianteira.

Por isso, e também porque vamos pela direita, que o freio dianteiro deve estar instalado no lado esquerdo do guidão. Pois a mão esquerda sinaliza a e a mão direita fica com o controle do freio traseiro, que pode causar derrapagens mas não capotagens. Já nas motocicletas, os freios ficam do lado direito do corpo e a troca de marchas no lado esquerdo do corpo. É outra lógica.

E eu pensando aqui com os meus botões – a USP insiste em me classificar como sociólogo do direito, então vamos lá – enquanto não houver uma bela adaptação das regras de trânsito, em diversos locais do mundo, ciclistas, pedestres e outros não motorizados agirão fora da lei, por mais que se fiscalize, multe, prenda e etc.

Pois se tenta coibir comportamentos tão espontâneos que podem até ser classificados como instintivos.

Entre ciclistas e pedestres, deixe que eles negociem ali na hora. Como nos videozinhos holandeses. Ah não ser que seja caso de morte, lesão corporal, dano, é mimimimi. Ou como dizemos nos tribunais: bagatela.


Em tempo, ia esquecendo: ciclista em calçada. Ciclista circula em calçada por poucos motivos: medo do trânsito é o mais comum.  Mas também pra cortar caminho e um ou outro apenas pra se divertir num ou outro degrau. A gente pode discutir a questão do caminho e até xingar o moleque do Free-Ride. E o que circula por medo?  Suba a Rebouças pedalando pela  pista pra entender do que falo.

 

 

 

 

 

 

6 Respostas para “POR QUE CICLISTAS NÃO PARAM NOS SEMÁFOROS? POR QUE PEDESTRES ATRAVESSAM FORA DA FAIXA OU POR DEBAIXO DA PASSARELA?

  1. Propaganda fdp de entidade de caminhoneiros da Noruega. Sinistro. Mas se a ciclista passa no sinal vermelho, não fica exposta ao assassino. https://youtu.be/Y9ovNZKIvpA
    Vídeo francês mostrando muitas situações onde a segurança do ciclista fica aumentada quando ele passa o sinal vermelho (meio chatinho, mas vale): https://youtu.be/Brh9Dv_5NaA

  2. O caso da travessia pelo meio da faixa me lembra uma palestra de um bombeiro, em 1997, quando cursava a 5ª Série do Fundamental. Ele dizia para nunca atravessarmos cruzando as faixas, bem como falava para não atravessarmos fora da faixa. As coisas mudam…

  3. Mas o cérebro do motorista, do ciclista e do pedestre é o mesmo…

    “Até o motorista mané tá procurando um caminho mais curto.”
    Todo mundo corta caminho mas quando é o motorista ele é mané!

    “”sempre quem morre é um idoso. Meu palpite é que haja uma fragilidade maior, inclusive da cabeça, na pessoa mais idosa”
    E por isso foda-se o idoso, afinal a culpa é dele que tem a cabeça mole!

    “Ah não ser que seja caso de morte, lesão corporal, dano, é mimimimi”
    Isso também vale quando um carro derruba um ciclista?

    Percebe que tudo que vc utilizou para defender maus pedestres e maus ciclistas pode ser utilizado por maus motoristas?

    Atravesso a pé diariamente a Ponte da Cid. Universitária com minhas filhas (6 e 8 anos) e todos os dias somos ameaçados por ciclistas pedalando na calçada.

    Que fique claro que não quero menos rigor para carros, quero MAIS rigor para TODOS no trânsito, já está na hora de ciclistas deixarem de ser café-com-leite e responderem pelos seus atos.

    • A diferença é que o motorista não terá desgaste físico de cumprir a regra.

    • 1:bem ,o carro do video pesa 800kg.Melhor ser mais cuidadoso.
      2:Sim,um idoso é mais fragil.Ja o seu palavrao (fuck you)achei desnecesario,nao afere razao ao comentario
      3:Qdo um veiculo de 800kg colida contra um de 15kg precisa averiguar os fatos,ou seja,cada caso etc
      4 Nao houve defesa de mau pedestres pois isto nao existe.Pedestre é um ser q existe a 300 mil anos,carro a 100.Qdo estamos dentro de um carro,achamos o inverso,q somos donos da rua,ou seja,é imbecil achar q um obejeto metalico tem mais importancia q um ser vivo(ai peguei pesado)
      5 Ciclista na calçada é sinal de rua sem segurança,e dai a calçada(q ja nao é la estas coisas)fica duplamente insegura.VC esta certo,bicicleta na calçada é proibido,assim como tantas outras proibiçoes q passam em branco no Brasil,mas jogue eles de volta na rua e:
      Percebeu q se pedestres e ciclistas se odiarem logo logo nao teremos(os 2 grupos)nen a calçada?sera assim,ou vc tem um carro e usara ele pra sair da sua garagem ate o ponto que quiser ir,e JAMAIS tocar no solo da rua,ou nao saira de casa
      alguns blogueiros chamam isto de Apocalipse automotivo.,ou salve se quem puder.
      Nao mais rigor,peça mais respeito
      Entenda,respeito e medo nao sao sinominos,nao estao sequer ligadas.
      Eu nao sou santo man,nen dono da verdade,ou o reto e sem defeitos,nen voce,nen os ciclistas na calçada,nen os motoristas,mas se nao encontrar um tico de respeito pelo outro no nosso dia a dia,o apocalipse(geral) pode ta mais perto do que imagina…

  4. Esse videozinho aqui é bem legal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s