CICLOTURISMO! dicas pra iniciantes.

viajar em bicicleta é uma delícia no verão, e mesmo nas férias de inverno. e uma opção muito barata de turismo. e mesmo que chova, é diversão na certa!

Rogério cozinhando no meio de sua viagem pra Niterói. Fogareiro a gás, de cartucho.

Assim, eu e Natasha desistimos de encarar um trecho da BR 101 sem acostamentos, perigosíssimo, e resolvemos descer uma ruazinha lateral à estrada em direção ao mar. Acabamos por dar numa enseada linda, habitada por maricultores, a Enseada do Brito. Nunca teríamos parado lá se estivéssemos em carros.

Rogério saiu de Diadema e foi pedalando até Niterói, viveu aventuras incríveis no caminho. migas estão em grupo rodando o Nordeste nesse verão. Um casal querido, Cauê e Dani, estão há meses numa lua de mel que rodará toda a América do Sul.

Mas toda grande viagem começa com algumas viagens pequenas, e é destas que quero falar. As viagens de verão, de 3 ou 4 dias, levando ou não barraca ou rede, dormindo ou não em hoteizinhos baratos….

Que bicicleta precisa? A sua! Viagem com a bicicleta que você conhece bem. Não precisa instalar pedal clipless, usar sapatilhas. Se usa pedal plataforma, pode até ser melhor: um calçado a menos na tralha a carregar.

Um bagageiro simples , e sua tralha nele. Se tiver alforjes, melhor. Se não tiver, não tem problema. Arrume uma bolsa grande e amarre tudo no bagageiro, bem preso, com cordinhas ou as “aranhas” elásticas.

O que precisa levar?

Viagem de verão pede roupas leves. Se tiver, leve roupas de material sintético, mais fáceis de lavar e e secar no meio da viagem. Não precisa ser o uniforme clássico de ciclista. Aliás, a bermudinha de ciclismo é opção: depende do seu grau de resistência às assaduras. Eu uso em viagem, mas tem gente como o Rafael Dias que é capaz de fazer 600km em 40 horas sem usar nada além de cuecas e um bermudão….. (depois ele não sabe por qual motivo é chamado de “A Lenda” e parado em locais diversos por ciclistas que querem tirar foto com ele…).

A hospedagem que vai escolher também precisa ser levada em conta. Você normalmente tem 4 opções:

1. Casa de amigos e parentes. De graça, com toda a estrutura…  Tem gente que despacha a família pra outro lugar e vai pedalando até lá. Nem leva bagagem…. A família leva.

2. Hospedagem paga. Hoteizinhos, pousadinhas e etc. Foi a forma que usei semana passada. O bom que você não carrega nada, o ruim é que gasta, e ainda tem que procurar hospedagem quando chega num lugar sem ter planejado antes. É mais barato do que se pensa, se você não é aquela pessoa cheia de frescuras. as vezes dorme com asas de cupim sobre a cama….

3. Acampar em barraca. Dorme quem todo lugar que te deixarem armar a barraca. Campings. Jardim de casas. No meio do mato mesmo…. O ruim é que barraca pesa. E dormir no chão implica em escolher entre carregar mais tralha pra ter conforto ou acostumar-se ao desconforto. Tem gente que dorme até no chão de boas… Eu, gordo, velho, feio, não consigo mais: me dói ombro e quadril ao dormir num isolantezinho de 6mm sobre superfície dura.

4. Dormir de rede. De longe a opção mais confortável, pois quem sabe dormir de rede sabe que rede é melhor até que cama. Sem falar que no verão não precisa de saco de dormir nem isolante dentro da rede, e sua tralha de dormir, com toldo e tudo, pode ser de até meros 1,5 kg.  O ruim é que é meio aberto, difícil guardar as coisas. O bom é que você nem precisa duma superfície lá muito plana, e pode dormir em qualquer matagal, bem escondido.

Na hora de escolher os equipos, leve em consideração o peso. Dou um exemplo pelas barracas.

Natasha na ciclovia que liga a Ilha de Santa Catarina ao continente, entre nossas bicicletas.

Pra uma viagem simples de bicicleta, você não precisa de uma barraca de alta montanha. Precisa de uma barraca simples. As de parede única são mais leves. As de parede dupla, que por cima do corpo da barraca há seu toldo, sua capa, seu sobre-teto. protegem melhor da chuva.

Pra ilustrar, dou exemplo com duas barracas baratas da Nautika.

No primeiro caso, barraca Panda 2, de parede única.

não suporta muita chuva. se pegar muito sol, esquenta bastante dentro. pesa 1,5 kg.

No segundo exemplo, uma barraca Falcon 2, com sobre-teto.

falcon 2, com sobre-teto, aguenta mais os ventos e a chuva. pesa 1,8 kg.

A Falcon 2 é uma barraquinha que faz muito sucesso com gente que pedala. Aguenta ventos  bem, é leve. E barata. Aqui nesse link um teste dessa barraca debaixo de vento e chuva.

Mas não basta a barraca, precisa também de um local pra dormir. Há desde colchonetes infláveis a isolantes de materiais diversos. Alguns são bem confortáveis, mas pesam mais.

Prefira as barracas tipo iglu, que são autoportantes. Você pode montá-las inclusive sobre superfícies cimentadas.

Se vai dormir de rede, atente a alguns detalhes.

A rede deve ter nas pontas alguma argola ou mosquetão metálico, que desviará a água que pode descer pela tira que a amarra à arvore, em caso de chuva.

Use mosquiteiro. Há redes com mosquiteiro incorporado, e há mosquiteiros que envolvem toda a rede.

E o toldo deve cobrir bem a rede, para o caso de chuva.

Há opções prontas no Mercado Livre, sejam de marcas nacionais, comoas redes da Kampa, como de fabricação chinesa. As da Kampa são mais bem feitas. Entre no link e veja.

Dá pra fazer em casa também. Nesse site aqui tem muita informação de como fazer sua rede,  e inclusive os apetrechos necessários pra dormir em rede mesmo em temperaturas negativas….

Em campings costuma haver árvores boas pra armar redes, e também é possível que você a arme em locais abrigados, como galpões, garagens e etc, E também no meio do mato. Já pensou naquela praia deserta? Então….

minha rede DIY no Pico Paraná, com mosquiteiro integrado e toldo feito de lona plástica. sisteminha de cerca de 1,3 kg.

Dá pra ver que sou um entusiasta do uso da rede, não é? Questão de conforto. Depois de vários atropelamentos, tombos de bicicleta e etc, o esqueleto pede conforto. Hehehehehe.

Pense em como vai comer. Se vai comprar comida pronta, circule por locais onde restaurantes e lanchonetes sejam fáceis de encontrar.

Se vai cozinhar, há opções diversas: há campings com cozinhas montadas, há quem leve fogareiros, há quem use gravetos e monte uma fogueirinha.

Fogareiros de alumínio, pra álcool, são opções leves pra uma viagem de fim de semana. Mas demoram pra ferver água…. Há diversos tutoriais na net de como fazer o seu.

Fogareiros a gás pesam um pouco mais, Há opções no mercado que usam cartuchos de gás, de dois formatos distintos, dê uma pesquisada.

atrás de nós uma ponte de madeira, suspensa, no interior de Palhoça. SC.

Há quem gaste uma grana e use um fogareiro a benzina ou outros combustíveis derivados de petróleo, coo gasolina ou diesel. Mas lembrando que no Brasil a gasolina tem adição de álcool, que é algo que tudo corrói.

E há quem monte seu fogareirinho a lenha.

Aliás, o que não falta no youtube é vídeo ensinando a fazer fogareiro a álcool (espiriteiras) e fogareiro à lenha, sempre de latinhas. Isso pode virar mania, viu? Já fiz um zilhão de fogareiros à álcool….

Sua quantidade panelinhas varia de acordo com seu gosto. Há quem faça uma gororoba numa panelinha só (tipo eu: miojo, uma lata de atum com óleo e tudo e furikake…), outros preferem múltiplos pratos…. Aí ou vai carregar muita panela e ter um belo fogareiro, ou acampar em camping – e só levar as panelas.

Leve muitos isqueiros.

Ah, e ao viajar, não esqueça de ir com a bicicleta revisada, e com seu kit de ferramentas completo: ferramentas adequadas à sua bicicleta, 2 câmaras de reserva, kit de remendos (si, leve as duas coisas), bomba de ar, espátulas…

E evite, se possível, usar mochila: longas horas nas costas farão seus ombros arderem. Coloque um bagageiro. Tem opções simples e resistentes no mercado, use de aço mesmo. Já vi coleguinha meter um bagageiro de canote de aço, num canote de alumínio de uma estradeira, e sair pelas estradas do Brasil, feliz da vida.

O importante é pedalar, e viajar. Rir dos perrengues e comemorar a vida, simples assim!

 

 

Anúncios

2 Respostas para “CICLOTURISMO! dicas pra iniciantes.

  1. Parabéns pelas dicas, sempre didáticas.

  2. “…As de parede dupla, que por sima do corpo da barraca há seu toldo…”
    Aí na sua frase “por cima” se escreve com “C”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s