Cubo de 3 marchas internas!

Cubo de 3 marchas internas… Shimano Nexus, Sturmey-archer, Sram t3… Dá pra montar em um monte de configurações, experimente!

Cubo Shimano Nexus para freios a disco.

Cubo Shimano Nexus para freios a disco.

Assim, bicicletas compartilhadas do Iaú que chegaram no Brasil usam cubos de 3 marchas internas. Outras bicicletas compartilhadas ao redor do mundo usam esses cubos.

Na verdade, uma variedade incrível de bicicletas na história usam cubos de 3 marchas, cujo projeto inicial remonta ao início do século XX. Eles funcionam muito bem em quadros com gancheira horizontal, que são os quadros usados em bicicleta de marcha única, mais simples, vendidas por aí.

É, já pensou? Colocar 3 marchas na sua Barra Circular, na sua antiga Monark Brisa, Monaretta, Berlinetta, Barra Forte… Ou naquela dobrável que veio sem marchas?

Esses cubos usam pinhões para corrente larga. Assim, se instalados numa bicicleta de marcha única, não é preciso trocar a coroa da pedivela. E se a corrente não tiver  gasta, pode-se usar a mesma corrente.

São cubos duráveis. Assim, não tema pegar um usado, no máximo terá que trocar o pinhão, que é barato e facilmente encontrável no Mercado Livre.

O ideal é montar com uma configuração que use uma marcha com 5 ou 6 metros de deslocamento por pedalada na marcha mais pesada. Assim, Essa marcha será usada na sua pedalada no plano – as pessoas sempre escolhem marchas com deslocamento entre 5 e 6 metros de deslocamento por pedalada pra manter velocidade no plano, não importa  a bicicleta. Desta forma, as outras duas marchas serão mais leves e permitirão conforto nas subidas. Nas descidas, é só deixar a bicicleta ir….

Então, por exemplo, numa Barra Forte ou Barra Circular, que usa rodas de aro  26 1 e 1/2 (ou aro 27,5, é o mesmo diâmetro), e cuja pedivela tem coroa de 44 dentes, com o cubo com pinhão de 24 dentes, a marcha mais pesada terá 5,2 metros de deslocamento por pedalada. Que é mais ou menos a mesma marcha que vem de fábrica. Mas com o cubo de 3 marchas assim montado, a bicicleta terá mais duas outras marchas  mais leves para subida, a do meio com 3,8 metros de deslocamento por pedalada, e amais leve com2,8 metros de deslocamento por pedalada.

Já no caso das bicicletas com aro 20 – sejam antigas Monarettas, Berlinettas, sejam atuais dobráveis ou mesmo quadros de BMX, adequados a pessoas menores – montar com pedivela com coroa de 44 dentes e pinhão de 16 ou 17 dentes daria a mesma relação de marchas apontada no parágrafo acima.

O salto entre as marchas é grande, mas a amplitude é muito boa para uso urbano. Isso sem falar que, se a corrente está bem alinhadinha, a durabilidade da corrente será imensa. E no caso do pinhão gastar-se, basta virá-lo de lado e usar mais um bom tanto (só não é possível fazer isso se estiver usando a versão do cubo de 3 marchas com freio contra-pedal embutido.)

Outra característica desses cubos é a imensa durabilidade. Alguns cubos na Europa estão em uso há décadas. Ora, quer coisa melhor pra quem pedala na cidade, vários quilômetros por dia, vários dias por semana? Tem gente que pedala fácil, só indo e voltando pro trabalho, todo dia, cerca de 200 km por semana, ou seja, de 800 a 1000 km por mês, chegando a 10 mil km por ano só indo e voltando pro trabalho de segunda a sexta.

Então, tem vontade de usar uma antiga Ceci ou uma Barra Circular por aí? Quer colocar umas marchinhas na sua dobrável?  Quer colocar marchas na aro 20 de seu filho? Quer ter uma bicicleta urbana de baixa manutenção?

Então, pense num cubo com 3 marchas  internas. Existem 3 grandes fabricantes no mundo. O mais antigo é a Sturmey-Archer, que produz esses cubos desde 1902, seguido pela Sram, que na verdade comprou a divisão da Sachs que fabrica esses cubos, seguido pela Shimano que passou a fabricá-los só nos anos 1960.

Agora, se vc quer mesmo começar a brincar com esses cubos… Olha só. Há um jeito de colocar 2 pinhões (de cassetes, adaptados) e corrente fina e câmbio traseiro, dobrar a capacidade do cubo.

Também pode ter um sistema misto da seguinte forma: cubo traseiro de marchas, um câmbio traseiro funcionando com o esticador, pedivela dupla ou tripla… Isso, claro, pra quem gosta de aprontar misturas.

Lembrando que Sram lançou há alguns anos sistemas mistos: cubo de 3 marchas com encaixe para cassete. Era o sistema Dual-Drive.  Sua função era ser instalado em quadros com dificuldades para instalar pedivelas duplas ou triplas e câmbio dianteiro. Mas lembro dum colega que, numa reclinada, usou um cubo desses com um cassete de 7 marchas e pedivela tripla. Assim ele tinha um sistema 3 x7 x, gerando 63 marchas possíveis!

Nos meus delírios ciclísticos, seria a relação que eu gostaria de ter num triciclo reclinado para dar a volta ao mundo. Marchas pesadas pra voar baixo nas descidas, e marchas leves para subir o Himalaia a 1 km por hora. Sim, triciclos reclinados não precisam de velocidade mínima pra se equilibrar, e podem subir muito lentos, se marchas houver para isso. Sonhar não faz mal, né?

 

 

Anúncios

Uma resposta para “Cubo de 3 marchas internas!

  1. Eduardo Lourenço Pinto Jr

    Se sonhar não faz mal, até 8 marchas no cubo, ainda dá pra um mortal comprar 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s