é a aerodinâmica!

bicicleta e ciclista são um conjunto, e não pedalamos no vácuo. então a aerodinâmica influencia mais do que você imagina.

se você viu o videozinho acima, entendeu o truque do fixeiro para ultrapassar os speedeiros, deitou sobre a bicicleta, durante a descida. e assim melhorou sua aerodinâmica, diminuiu a resistência do ar.

pois é, numa bicicleta de quadro diamante, bicicleta comum, de montar sobre o selim, a à velocidade de 30 km/h a resistência do ar responde por cerca de 60% do seu esforço. claro, pode ser maior ou menor a resistência e acordo com a sua posição na bicicleta, existência de vento contra ou não e etc.

outros fatores também importarão no seu desempenho: resistência à rolagem maior ou menor ( quanto mais largo o pneu, maior resistência ele oferece, quanto a maior a pressão do ar dentro das câmeras, menor  a resistência e etc…), lubrificações e etc também influenciam no seu desempenho.

mas a aerodinâmica é importantíssima.

e você sabe disso. pois xinga quando o vento contra é muito forte, ou abaixa o tronco naquela descida para a bicicleta acelerar mais…

e claro, sempre se tenta minimizar o máximo possível o efeito da resistência do ar. note a bicicleta que Francesco Moser usou em 1988 para bater o recorde da hora:

rodas fechadas, roda dianteira pequena para permitir a frente mais baixa..

rodas fechadas, roda dianteira pequena para permitir a frente mais baixa..

historicamente muitas soluções foram tentadas, embora não raro a UCI tenha atuado no sentido de impedir que as soluções mais radicais se implantassem. essa bicicleta acima de Fracesco Moser hoje é ilegal para uso em provas da UCI.

assim como são ilegais bicicletas sem o tubo vertical do quadro, como as beam-bikes. as Softrides assim não puderam ser usadas mais em eventos oficiais. nem essa bela Dimond abaixo.

Dimond Tri Bicycle. extremamente aerodinâmica para uma bicicleta de montar.

Dimond Tri Bicycle. extremamente aerodinâmica para uma bicicleta de montar.

muito se tem tentado reduzir a resistência do ar abaixo a posição do tronco do ciclista, como fez Graeme Obree ao conquistar o depois invalidado recorde da hora:

Obree em sua bicicleta feita em casa.

Obree em sua bicicleta feita em casa.

Obree tenta ainda chegar a recordes abaixo ainda mais, deitando ainda mais:

Obree em uma criação sua, uma prone bike.

Obree em uma criação sua, uma prone bike.

Prone2

prone bikes não são exatamente novidade. mas são desconfortáveis, com o corpo apoiado pela barriga e ou peito.  e exigem soluções para pedalar nem sempre muito simples.  assim, são raríssimas, todas de fabricação artesanal e usadas por uns poucos que não ligam de esticar bastante o pescoço para enxergar. e também são ilegais para as provas da UCI.

mas se pode deitar o ciclista em outra posição, de barriga para cima. essas são as reclinadas.

mas o interessante é que, dentro do espaço permitido pelas regras da UCI, há muito pouco o que inovar, e fora dessas regras há muito o que se fazer ainda.

carenagens, totais ou parciais, melhoram muito a aerodinâmica. sejam em bicicletas comuns, prone bikes ou reclinadas. mas tornadas ilegais pela UCI.

mas a carenagem é um dos principais motivos pelos quais os velomobiles – triciclos carenados – andam tão bem.

e a questão é: toda pedalada sua é uma competição pelas regras da UCI?

não, obviamente não, então não há motivo para que você tenha que se submeter às regras da UCI o tempo todo.

da mesma forma, pode sempre mudar um pouco tanto sua postura em cima da bicicleta, sua forma de carregar coisas e mesmo sua bicicleta, de modo a fazer menos esforço para vencer a resistência do ar.

em uma viagem percebemos como alforjes largos  nos fazem andar lentamente, principalmente em trechos com muito vento contra.  muitas vezes, carregando menos coisa, vamos mais rápido não em razão do peso, mas da aerodinâmica.

nesse teste da cycling about, a mesma carga numa mesma bicicleta de cicloturismo, todavia distribuída em dois ou 4 alforjes, alforjes dianteiros apenas ou alforjes traseiros apenas, ou montada no padrão bikepacking, com uma bolsa de selim grande e uma bolsa de quadro. as diferenças apuradas são muito maiores do que imaginamos. e por incrível que pareça, a aerodinâmica pode influenciar negativamente tanto quanto o peso. se duvida, compare as diferenças do teste citado sobre aerodinâmica com esse teste em que o fator variável era o peso.

mas a questão, como melhorar a sua aerodinâmica?

capacetes aero são de fato mais aerodinâmicos, mas são quentes num trajeto longo. e sua posição em cima da bicicleta?

obviamente, quanto menos ereto, melhor. todavia há o limite do conforto. tecnicamente, quanto mais deitado, melhor. todavia, deitado demais não se enxerga. ou há que se levantar a cabeça para trás, no caso das prone bikes, ou para a frente, no caso das reclinadas. todavia reclinadas podem ter apoio para a cabeça.

é. o duro é achar um equilíbrio entre tandos fatores. peso, aerodinâmica, capacidade de pedalar, conforto… cada um encontra sua receita. em todo caso, não tenha medo de experimentar.

 

 

 

2 Respostas para “é a aerodinâmica!

  1. Muito bom!
    Aprendendo muito em seu blog. Obrigado por compartilhar!

  2. Pingback: Aerodinâmica levada a sério… | Pedal Clube Bahia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s