VW: a máquina perfeita.

cachorro, por essência, morde. é da natureza. uns mordem mais, outros menos. é da natureza da indústria automobilística/motociclística o lucro  ao custo da saúde alheia. é da sua essência. o caso da fraude nos carros a diesel é apenas um exemplo.

2012-volkswagen-passat-tdi-engine

 

Cintos de segurança são invenção do século XIX. Mas a indústria automobilística resistiu a eles o quanto pôde. Na década de 40 do século XX Preston Tucker equipou seus carros com cintos de segurança e por isso foi criticado (entre outros motivos). A primeira lei obrigando os carros a terem cintos de segurança é do estado de Victoria, na Austrália, em 1970, e antes disso, alguns fabricantes forneciam carros com esse “acessório” como opcional (Nash em 1949 e Ford em 1955) e como equipamento padrão, só em 1958 uma
empresa (Saab).

É fato que, mesmo teno os países legislações de trânsito limitando as velocidades máximas, os fabricantes vendem veículos  que vão muito além delas. No Brasil, em qualquer hipótese a velocidade máxima é de 120 km/h. Seria lógico que todos os veículos num mercado com 200 milhões de habitantes viessem com limitadores de velocidade, por uma questão de segurança e também para impedir que inadvertidamente os motoristas passassem essa velocidade e fossem multados onde ela é o limite máximo. Existem algum veículo de passeio sendo vendido já como esse limitador? Não. E as publicidades incentivam o ato ilício, vendendo o sonho de velocidade.

Quando observamos as publicidades de automóvel, não reconhecemos nossas cidades. O que se vende é um transitar num undo irreal: sem outros veículos, sem pedestres, sem semáforos. Grande parte dos jipões possuem publicidade induzindo a uma vida de aventuras que o funcionário da agência bancária que o comprará nunca terá. O jipão será utilizado no trânsito diário, pesando quase duas toneladas, usando pneus largo, consumindo muito combustível. Fazendo de forma desperdiçadora de recursos o mesmo que faria um carro muito menor e mais leve, econômico. E claro, poluindo mais.

Para combater essa poluição governos se organizam, impõe regras restritivas. E o que faz a indústria automobilística?  De um lado pressiona os poderes públicos a seu favor (o lobby pela redução de IPI no Brasil nos últimos anos é um belo exemplo). De outro lado, burlam a lei.

No dieselgate temos um belo exemplo. Volkswagen, como lembra o Sakamoto, não prejudicou todo mundo, só quem respira. E se você que está lendo esse texto é um desses amantes de carros, leia o artigo dele inteiro, pra entender como a publicidade dessa indústria transformou-o nesse tipo de idiota que vende a alma e grande parte da sua renda a vida inteira pra sustentar essa indústria.

Sim, caro leitor. Há décadas estamos debaixo de um bombardeio de produção ideológica que faz com que você sonhe com carrões, jipões, motocas e o escambau. Essa indústria apertou o botão de “foda-se” e quer que você faça o mesmo. E você só não estará fazendo o mesmo se seu carro tiver os escapamentos voltados pra dentro da cabine, e você dirigir com os vidros fechados. Você faz isso? Ah, não? Então seu prazer ou “direito” de dirigir inclui poluir o ar, que todos nós respiramos?

E você é seduzido… Alguém lhe conta que esse é o pior investimento que você pode fazer? Leia aqui, na Istoé Dinheiro.

"live fast, die young". No círculo, o corpo sem vida do ator de 24 anos, James Dean, morto em 1955 numa batida com seu Porsche.

“live fast, die young”. No círculo, o corpo sem vida do ator de 24 anos, James Dean, morto em 1955 numa batida com seu Porsche.

É. Muitos sofrem da síndrome de Ayrton Senna, muitos seguem James Dean. Por isso as corridas ilegais, os rachas, a alta velocidade nas estradas.  É…

Veículos automotores matam. Infelizmente não apenas quando atropelam e batem, mas a partir do momento que se vira a chave ignição.  O dieselgate da Volkswagen é só um exemplo. É só um capítulo do longo livro da indústria da morte.

————

Só pra pensar: o diesel é de longe o combustível mais poluente.  O que significa fraudar os controles de emissões de veículos a diesel? Não é mandar todos pra p.q.p.?

 

 

 

 

 

 

 

5 Respostas para “VW: a máquina perfeita.

  1. Seu celular contém componentes que foram feitos na china, com trabalho semi escravo. O seu computador (e quase todo o resto) funciona com bateria de lítio (super tóxico) e é recarregado com energia elétrica, que hj vem de usinas hidroelétricas (custo ambiental), Termo elétrica (poluente) ou nuclear (nem preciso falar).

    Sua bicicleta tem pneus que vieram provavelmente do sudeste asiático, aço ou alumínio que vem das metalúrgicas e siderúrgicas…

    Vc critica a indústrias automobilísticas por irem contra a imposição do cinto de segurança, mas critica capacetes para bicicletas…

    Resumindo, ao menos que viva na floresta ou em uma caverna (o que é impossível, visto que mantém um blog) não passa de um hipócrita.

    Cresça.

    • e vc, que faz isso tudo isso achando que é normal? no mínimo cínico também, né? hehehe, como desconhece minhas outras atividades, fala essas besteiras, enquanto outros riem das suas trollagens… hehehe, chega ser até divertido ler essas besteiras que escreve.

      • Não sei se cínico, talvez conformado… Mas é o preço que temos que pagar pelo progresso…
        Um exemplo no ciclismo:
        Nos anos 2000 todo mundo se dopava, mas pq o Lance Armstrong foi o mais criticado? Por que quando questionado sobre doping ele ficava dando lição de moral em todo mundo enquanto os outros ciclistas simplesmente desconversavam.
        Hipocrisia.
        É mais fácil perdoar as faltas do pecador comum do que do pregador.

    • Por favor Eduardo, menos. Tente se familiarizar com o conceito de excesso. Beber álcool é ruim? Não, é até saudável dizem os médicos. Agora se você beber 1l de pinga por dia, morrerá de cirrose. Se vc tentar beber uns 10l morrerá no mesmo dia. Comer é necessário para viver, agora experimente comer diariamente 3Kg de picanha. Fazer exercício faz bem, agora tente se exercitar todo dia, sem descanso. O que se critica aqui não é o uso da tecnologia, nem da energia, nem dos recursos naturais, é o excesso. Sim, bicicletas usam metais, plásticos, borrachas, lubrificantes, mas em quantidades 100,1000,10000 vezes inferiores a um carro.

  2. Eduardo, seu comentário sobre baterias é pertinente, se é inevitável o uso, então o “menos pior” é consumir o máximo que o equipamento aguentar. Meu celular é tão velho que não tem nenhum tipo de conexão com a net e uso fita isolante para segurar a bateria no lugar, (a tampa se perdeu). Acredito que dá para usá-lo por mais um ou dois anos.

    Agora comparar um pneu que dura no mínimo 2 anos de uso constante, um quadro de aço ou alumínio que durará mais tempo do que somos capazes viver, com o consumo de diesel é uma piada ou ignorância plena.

    Comparar cinto de segurança de carros que podem passar de 200km/h com capacete de ciclismo onde a maioria das pessoas não chegam a 30km/h… prefiro entender que é piada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s