pra não meter o cadarço no meio da corrente e tomar um tombo!

o fato é que uns 90% da população não amarra seus sapatos direito. e então, na bicicleta, o nó se desfaz, o cadarço se solta e entra na corrente, sendo mastigado pela coroa da pedivela e kapput! vem o tombaço. vamos evitar isso?

se fica assim torto o nó quando você termina de fazê-lo, isso é um nó torto com alças,um nó cego com orelhas.

se fica assim torto o nó quando você termina de fazê-lo, isso é um nó torto com alças,um nó cego com orelhas.

sei lá o que acontece. o fenômeno é mundial. as pessoas desaprenderam a amarrar sapatos corretamente, e já há uma segunda ou terceira geração que já cresceu sem saber isso, achando natural usar nó cego, também chamado de nó torto, com laço, pra amarrar sapatos. 

e daí, pra não desamarrar, ou dão um segundo nó, ou começam a recorrer a produtos que a indústria solertemente vai vendendo pra todo mundo: soluções  ($oluçõe$!!)  para problemas que não deveriam existir: tênis com elástico,  fivelas, velcro e o escambau.

mas basta amarrar da forma correta, e prender as alças – se grandes, em razão dum cadarço mais longo – passando por debaixo de uma das passagens do cadarço pela parte superior do pé – no caso do sapato direito, sempre – e não há possibilidade do nó desamarrar e provocar um tombaço daqueles, com direito a perder meia dúzia de dentes e ter que colocar pinos na mandíbula, no maxilar…

se ao terminar o laço ficou assim, você fez direito. é só passar essas alças debaixo dum outro ponto do cadarço apenas para não pegarem nas coroas. pois o nó nõ se desfará.

se ao terminar o laço ficou assim, você fez direito. é só passar essas alças debaixo dum outro ponto do cadarço apenas para não pegarem nas coroas. pois o nó nõ se desfará.

a forma mais correta é a  mais simples: usar nó direito com laços. mas porquê? pois o nó direito só rompe com 45% da carga máxima do cabo. nesse caso, esse nó, sendo usado para amarrar seus sapatos, só romperá se aplicarmos a ele quase metade da força usada pra romper o cadarço. e romper um cadarço assim, com a força humana, não é lá muito simples não, viu?

o nó direito ainda tem por característica uma tendência a apertar quando tensionado. e é o que fazemos ao mexer o pé.

todas as alternativas a se fazer o nó direito são mais trabalhosas ou custam mais, ou usam mais cadarço, e geram mais dificuldade para desfazer o nó. lembre disso.

por outro lado, pra quem usa a bicicleta no cotidiano, ou seja, no dia a dia pra diversas etapas do seu transporte diário, não dá pra prar e usar um calçado específico pra pedalar, uma sapatilha XPTO com cadarços de adamantium com fibra de carbono e memória eletrônica pra amarrarem-se sozinhos. quem usa a bicicleta  no dia a dia acaba usando os calçados normais. a grande maioria deles fechados por cadarços.

mas para aprender a fazer o nó da forma correta, que simplesmente fazer o segundo nó no sentido inverso do primeiro, tem esse videozinho bem explicativo que achei no youtube:

viu como é simples? e o detalhe, amarram-se calçados assim desde a antiguidade! e como você não sabia disso? bom, aí eu já não sei.  pois os índios americanos usavam em seus mocassins, os soldados romanos em seus coturnos, os vikings em seus wendeschuhe (e representando em formas rebuscadas em sua arte) e etc. essa forma mais eficiente de amarrar os sapatos tem entre 4 mil e 9 mil anos (na grécia antiga, era conhecido como nó de hércules), e é encontrada nas mais diversas culturas. mas vai saber o porquê de não terem lhe ensinado isso na infância….

mas colo um outro videozinho, em inglês:

é de se notar que plínio, o velho, em sua “história natural” já recomenda o uso do nó de hércules para atar ataduras, costuras em cirurgias e etc.  sem falar que até em múmias esse nó já foi encontrado…

da wimipédia alemã: à esquerda o nó cego com orelhas, à direita o nó direito com alças.

da wimipédia alemã: à esquerda o nó cego com orelhas, à direita o nó direito com alças.

 

uma outra hora posto fotos de como passar o cadarço no tênis de modo a fazer o laço ficar do lado de fora do pé. assim nem por reza brava o cadarço entra na corrente.

e também posto formas de passar o cadarço pelo calçado, usando maior ou menor extensão, ou seja, deixando pontas maiores ou menores, ou formas de passar o cadarço numa bota ou num tênis de cano alto, sem prender o  movimento do pé ao pedalar. são pequenas coisinhas que podem fazer a diferença no seu pedal.

 

 

 

2 Respostas para “pra não meter o cadarço no meio da corrente e tomar um tombo!

  1. Eu amarro e depois coloco o laço entre o cadarço e a lingueta antes de calçar o tênis… nunca tive problemas.

  2. gostei da marca do sapato. ahaha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s