pneus pra pedalar em são paulo

vamos falar de pneus pra bicicletas de gente normal?

kenda flame 2.125

kenda flame 2.125

existem aqueles que só dão voltinhas no final de semana, ou então pedalam, pedalam, por não ter mais o que fazer (não trabalham, não estudam e etc). esses normalmente colocam pneus caros em suas bicicletas, tao com dinheiro sobrando. ou então usam apenas bikes que são barcos: penduram no carro, levam a algum lugar pra pedalar lá.

mas há quem use bicicleta como veículo. ou seja, para transporte ou lazer, indo do ponto A ao ponto B. e quase sempre só bicicleta, não usando carro, não metendo a bike no metrô.

e assim, nem sempre tá no piue de passeio ou treino. às vezes com o corpo cansado, carregando peso, as compras do supermercado, os livros do estudo…

o fato é que bicicleta pra uso urbano não é a bela bike com 30 marchas. não dá pra ser: corrente de 10v custa 3  a 4 vezes mais que uma corrente pra 8v, e dura menos. e quem roda todo dia, roda, roda, roda….

a mesma conta se faz compneus. meus schwalbe marathon plus devem durar pelo menos o dobro que os kenda kwest de outra bike. mas custam no mínimo o triplo. vale à pena então usar esses schwalbe no dia a dia? não, tão instalados da bike de cicloturismo que roda normalmente só nas férias.

e que tipo de pneu se deve usar na cidade? de preço baixo, confortáveis, se possível rápidos. se possível… senão, paciência, que se compense na perna.

e quem mora mais distante da região central ainda por cima enfrenta mais buracos… asfalto da qualidade daquele que tem na avenida paulista, não acho numraio de uns 20 km da minha casa, que é a distância até a avenida paulista…

aliás, no meu bairro, o asfalto tá osso.  dá até medo sair pedalando com as speeds. sério, dá pena.

o asfalto de são paulo, como, aliás, em boa parte das cidades do brasil, é uma lástima. também, com as concessionárias de serviços públicos abrindo buracos a torto e direito, sem dó, sem comunicar as prefeituras, remendando (quando fecham) os buracos de qualquer jeito, faz com que que o recapeamento de qualquer rua ou avenida em pouco tempo vire uma pista de mountain-biking.

dá dó ver algumas ruas tendo o asfalto ainda em bom estado sendo rasgado por máquinas. saberemos que o remendo vai ficar uma porcaria… e em poucos anos, cederá, formará depressões, nas chuvas acumulará água….

perto de minha casa, há alguns anos, o recapeamento durou duas semanas. sim, duas semanas depois uma concessionária abriu uns buracos quadrados a cada 20 metros na rua inteira. terminada a bertura, abriu do outro lado: a equipe errou o lado onde deveria abrir os buracos. depois do tal “conserto” os buracos tampados com um asfaltinho xexelento… hoje são buracos novamente. bem no lado onde bicicletas passam…

é. haja pneu. pneu que tem que ser confortável, e às vezes rasga. e aí? prefere rasgar seus lindos tubulares ou prefere que sejam rasgados uns pneus de 40 ou 50 reais?

pois pneu rasga em são paulo. a limpeza pública não dá conta de tirar os cacos de vidro das garrafas que os bêbados atiram dos carros todas as noites de quintas, sextas, sábados…

certa vez, num sábado de manhã meu pneu dianteiro rasgou na praça campo de bagatelle, num fundo de garrafa, e eu fui pro chão. eu indo ministrar aulas numa faculdade… e na noite anterior alguns pilantras se deram ao trabalho de mirar garrafas em todas as placas que circulam essa imensa rotatória.

e aí, não é melhor nessas situações estar com um pneu barato mas resistente, mesmo que pesadão? pois se eu estivesse com pneus mais largos e pesados naquele dia (estava usando os kenda kwest 26×1,25 que sempre gostei de usar), talvez kenda flame ou pirelli bm-60 (ou corsa pro, nome atual), o pneu dianteiro não teria rasgado.

tenho alternado no dia a dia duas bikes, uma ainda com kenda kwest de 1,25 pol de largura, mas se a bike fica mais rápida, sinto o asfalto. outra, com imensos 2,1 pol de cravo, velhos a ponto de ter cravos querendo soltar, mas macios.

claro, com pneus largões a bike fica mais lenta? sim, fica. mas eu sinto menos o asfalto. sinto menos o cimento ruim de ciclovias. e talvez não tivesse caído no buraco onde a rida dianteira da diamond back com pneus de 1,25 pol entrou, travando, e me levando ao chão numa noite anterior ao carnaval…. e eu de molho com a bursite apitando o carnaval inteiro.

e tem mais gente sofrendo. um colega que só roda de estradeira tá usando uns kenda kwest 28mm, de 80 libras, na bike. não tava aguentando os pneus de 23mm, melhorou um pouquinho o conforto. outro conseguiu uns pneus de barra forte/barra circular, pra sua cara bike 27,5.

a moçada anda improvisando, variando, pois realmente é osso rodar em são paulo todo dia.

é, tá osso. o negócio é achar pneu borrachudo, mais larguinho, barato, que aguente pelo menos umas 60 libras.  pois quem roda, como eu, de 800 a 1000 km por mês, não tá a fim de gastar uma fortuna a cada manutenção. pois quem não schwalbe big apple, vai de kenda flame.

 

8 Respostas para “pneus pra pedalar em são paulo

  1. Acho o 2.1 um pouco exagerado mesmo na buraqueira, te amarra demais e na hora do sprint pra não ser esmagado vai fazer falta. Uso 1.5, max detonator importados da china pela metade do preço no bostil, é mais encorpado que o kenda, mesmo assim bem desconfortável em alguns trechos, acho que os 1.75 já melhoraria.

  2. Acho o 2.1 exagerado mesmo onde na buraqueira, amarra mto, na hora do sprint pra não ser esmagado faz falta. Uso detonator 1.5, importado da china pela metade do preço no bostil, e mais encorpado que o kenda, mas mesmo assim desconfortável em alguns trechos, talvez o 1.75 seja mais ideal.

  3. Procurem pelo Schwalbe One 28mm, coloquem tubeless e vão ser felizes, podem rodar com menos pressão para conforto, ou mais pressão para performance e esqueçam furos e afins…

  4. Feliz com Continental 700×32 touring plus montados com tubeless, não tão confortáveis mas confiáveis.

  5. estou usando um Schwalbe 700×38 na dianteira e 700×32 na traseira. foi um cojunto muito bom. Subo meio fio tranquilamente. Achei um bom sistema para uso urbano. E ainda mantive os paralamas na minha urbana.

  6. Mestre, e qual a dica para pneus resistentes a ciclovia/faixa molhada? Tenho um swallbe durano plus na minha híbrida e apesar de serem finos e lisos, a borracha é de qualidade e tem uma boa aderência em qq piso, menos na tinta vermelha do haddad (kkk, desculpe o veneno mas estou tomando oxycontin para aguentar a dor, então posso falar isso) mesmo com pneus bons cai quarta passada na ciclovia da av escola politécnica, cai a 10 km/h ao retormar a aceleração após passar por uma “chicane” perigosa, nisso fraturei a cabeça da ulna (o cotovelo), tive q operar e colocar placa e parafusos… Existe algum pneu seguro nessas condições?
    ps: crianças, nunca caiam de braço esticado, toda e energia vai para o seu cotovelo e ele estoura que é uma beleza!

  7. Ótima descrição, bem mais realista e de acordo com a necessidade do dia a dia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s