compaixão, justiça, solidariedade, responsabilidade social e ambiental: onde?

pode um coração duro ser chamado de cristão?

né?

né?

quando entramos no site da associação madre cabrini das missionárias do sagrado coração de jesus, em sua página institucional, dizem as freiras dessa ordem promover os seguintes valores: compaixão, justiça, solidariedade, responsabilidade social e ambiental.

pergunto-me: de fato fazem isso?

eu já estudei em escola católica. aliás, lá tomei contato com uma visão de justiça social que se mantém em mim. não tenho um blog que se esforça em entregar o máximo possível do conhecimento que tenho sobre bicicletas, sem qualquer patrocínio, à toa. poderia eu simplesmente não ter esse blog. poderia não fazer um post irônico como o último, que pode até ser objeto de críticas, mas marcará na cabeça do newbie a nomenclatura correta. não me importo em ser popular, mas em fazer com que as coisas andem. pra frente. em direção a valores que de fato hoje não vigoram numa sociedade individualista.

sei lá se isso é uma forma de cristianismo. sou marrano, e minhas relações com as doutrinas cristãs é sempre conturbada, por isso. mas sei bem diferenciar o que sejam atos de compaixão dos atos de puro egoísmo. só sei que as irmãs que foram minhas professoras traziam textos sobre justiça social, e incentivavam aquela forma de partilha que sempre se relata sobre o milagre de dom bosco.. que teria conseguido distribuir uma cestinha de castanhas pra 400 alunos.  uma espécie de milagre de multiplicação de pães e peixes.

bom, milagres para mim têm a função dos mitos. não me preocupo em achar provas da separação das águas do mar vermelho, ou da transformação da água em vinho (meu milagre de longe preferido!🙂 ), ou da cor azul de pele de krishna. não importa, a função dessas histórias é passar valores.  livros religiosos devem ser lidos de forma alegórica, e aí mostram sua riqueza, seu conteúdo.

mas se não sei ser um bom cristão, sei diferenciar o que seja um mau cristão. é simples, ele é egoísta.  ele não tem espírito de doação. não é como um gino bartali, חסיד אומות העולם (justo entre as nações), católico fervoroso que carregava nos tubos do quadro de sua bicicleta papéis falsificados que permitiram salvar cerca de 800 judeus durante a II guerra.

mas aquele que só pensa em si acaso pode-se dizer ser um bom cristão?

acredito que não. aquele que sobrepõe os próprios interesses sobre a vida alheia?

pois a questão é essa: quem luta contra uma ciclovia ou ciclofaixa à sua porta está mais preocupado co o próprio umbigo do que com a vida alheia. em resumo, é o tipo de gente que se preocupa com si e quer que outro foda-se.

e daí, volto à pergunta: quem prega a compaixão pode tomar essa atitude mesquinha de expor ciclistas a risco, em razão de interesses próprios?

pois é o que fez a associação madre cabrini das missionárias do sagrado coração de jesus. impetraram um mandando de segurança, conseguiram uma liminar que determina a retirada da faixa. alegam risco para o desembarque de alunos… mas como, se criada uma área de desembarque seguro, e esses alunos só precisam atravessar cerca de um metro pra chegar à calçada.

claro, um grande risco… como se bicicletas andassem a 100 km/h, como se passassem 1500 ciclistas por minuto na faixa. como se desembarcassem alunos 24 hs por dia.

pois é. graças a essa liminar, a prefeitura retirará essa faixa. e um ciclista que passe ali às 3 horas da manhã não estará protegido, sim, 3 horas da manhã. horário em que muitos trabalhadores de bares e restaurantes pegam suas bicicletas pra voltar para casa.

são pessoas pobres, cujo transporte por bicicleta significa melhor alimentação no prato dos filhos.

mas isso interessa às irmãs missionárias? não, elas têm coração duro para o risco que correm essas pessoas pobres, não raro funcionárias de baixo escalão das próprias entidades localizadas naquela rua.  afinal, ao escravo, nada. ao pobre, nada.

não me parece muito cristã essa atitude. mas quem sou eu pra julgar? cada um que chegue às suas próprias conclusões.

o fato é que a associação madre cabrini prefere apoiar os que chegam poluindo, em detrimento dos pobres que não poluem, com suas bicicletas simples. é, nem todo mundo é favorável à defesa da vida.

compaixão, justiça, solidariedade, responsabilidade social e ambiental: será mesmo que essas palavras são sinceras? há alguma fraternidade aí?

não, claro que não. mas está dito que muitos falariam em nome do altíssimo, mas nem todos seriam sinceros. está aí um caso. é… triste, muito triste.

 

3 Respostas para “compaixão, justiça, solidariedade, responsabilidade social e ambiental: onde?

  1. A prefeitura foi querer agradar a todos, e como sempre digo, não da pra agradar motoristas se a idéia principal é proteger ciclistas. Pagou o preço, antes tivesse proibido totalmente a parada do lado direito ao invés de tentar agradar motoristas permitindo a parada em paralelo. Bom, agora resta acabar de vez com as vagas do lado esquerdo e tranferir a ciclovia pra lá, e providenciar uma fiscalização ferrenha pra multar todos que se atreverem a parar em cima da ciclovia pra desembarcar as crias. E seguindo a lógica, vamos acabar com as ruas, pois atravessar é algo extremamente perigoso pras crianças, cujo maior índice de mortes tem como causa o trânsito, não por causa de bicicletas, mas de carros… como vc mesmo disse, quanta hipocrisia.

  2. Lamentável a atitude desta escola, lamentável !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s