a falácia das elétricas

um amigo vê as bikes elétricas como política de redução de danos: “assim, o cara tá gordo pra dedéu, sedentário, ele não vai pruma bicicleta, ele tem que ter o motorzinho, isso o motiva”.  não deixa de ser verdade, tanto que 90% das pessoas que vejo em elétricas estão com sobrepeso acentuado.

mas elétrica é de fato solução? talvez seja para portadores de deficiências diversas, embora comumente portadores de deficiência vejam na dispensa do motor uma conquista.  mas do ponto de vista de redução de danos ao meio ambiente não.

onde está o dano então? na produção de energia elétrica.

energia elétrica limpa é eólica, e solar. e mesmo assim, apenas em condições específicas. pois uma hélice grande pode causar danos, matando pássaros, e vários metros quadrados de painéis solares podem estar ocupando espaço de vegetação.

a produção termoelétrica gera emissões de CO2. e as hidroelétricas? pois é… pode estar emitindo metano! muito mais danoso ao meio ambiente que o CO2.

se tem dúvidas sobre o que a produção hidroelétrica de energia produz, veja o documentário abaixo, de pouco mais de 25 minutos, dirigido por lou-ann kleppa.

trata da represa de jirau, e foi realizado esse ano.

esse é o pano de fundo da produção da energia elétrica que você já consome a rodo, nos celulares que precisam ser carregados diariamente, lâmpadas acesas pois você não abre cortinas, ou seu chuveiro extra-quente pois você abre a água ao máximo e pra esquentar e não gelar seu corpinho sensível, o chuveiro está sempre na posição mais quente o ano inteiro…

não bastasse isso, ainda seria necessário carregar a bateria de uma bicicleta apenas para você não suar seu corpinho subindo a rua augusta?

claro, você pode dizer que sua casa não é uma indústria eletro-intensiva como a indústria de alumínio. sim, não é. mas é o consumo de milhões de pessoas que gera uma demanda fenomenal. por que acentuar essa demanda apenas por preguiça de pedalar?  pois sim, se não é o caso de se portar uma deficiência, o que justifica optar por uma elétrica e não por um autêntico veículo de tração humana? a preguiça de fazer força, a preguiça de suar, de procurar um local pra trocar de roupa, se for o caso. a preguiça de mudar sua rotina.

nós humanos, hoje, vivemos a maldição chinesa, que diz: “que você viva tempos interessantes!”

sim, o mundo está mudado, e não vê apenas quem não quer ver.  essa seca é sim fruto de ação humana, como várias das cheias do norte do brasil, conforme o vídeo que você viu no início desse texto.

sim, água gera energia, e há água sendo desperdiçada em razão da produção de energia elétrica. eu vi isso no começo do ano, quando visitei o rio jaguari e os locais diziam do nível acimada média… nível controlado pela produção de energia elétrica.

e se quiser ter uma ideia do que é a vida com pouca água, pense que já há locais em que usar o banheiro da casa de alguém, quando em visita, só em último caso. e mesmo assim, pedindo desculpas. duvida? leia aqui.

e claro, pra que piorar aquilo que o governo do estado já piorou?

não podemos dar uma de maria antonieta e mandar todo mundo comer brioches quando há falta de pão.  então, se não precisa de forma absoluta, tente evitar ferrar mais ainda a situação do mundo. mexa suas pernas.

 

 

 

 

8 Respostas para “a falácia das elétricas

  1. Sei não… tens que entendender que as elétricas podem sim ser uma maneira de pessoas que nunca pedalariam largarem o carro, é menos ruim! E a poluição gerada pela geração de energia é um fato, mas ao menos é fora das cidades e sim – parte da energia é limpa. Usando um carro toda energia é fóssil.

  2. menos ruim pela não poluição…. mas não vejo graça alguma nas elétricas!

  3. Definindo o post em duas palavras: Radicalismo e preconceito.
    Também é utilizada energia elétrica e uma série de materiais para de fazer e/ou manter uma bicicleta. A solução seria ir a pé e pelado.
    Excelente!

  4. Eduardo, danos nós já causamos simplesmente ao existir. Ou, colocado de outra forma, consumimos recursos. A questão está em causar menos dano possível. Pedalar em vez de usar um motor elétrico é uma dessas oportunidades. Não vejo radicalismo nisso, considerando pessoas saudáveis sem restrições de saúde.

  5. na nossa cidade a máxima e sempre por volta de 39 ºc média está mais de 23 °c por ano, e aqui uma bicicleta elétrica é bem vinda.
    para quem não quer moto nem carro e pode ir trabalhar usando o motor e voltar pedalando… será ?
    eu me preocupo e com o lixo das baterias velhas. essa baterias poderiam ser feitas de material 100% recicláveis.
    eu tenho um projeto em andamento que a bike irá carregar a bateria nas descidas ou quando a pessoa está pedalando.
    tenho um pensamento que “as coisas não estão melhor porque os homens não querem” .
    já pensou se a bike elétrica ou não fosse a prioridade da humanidade? Nasa, Ferrari, Mercedes Bens, Siemens projetando a melhor bicicleta do mundo e competindo para chegar a esse objetivo…
    olha que até satélite em cometas já têm.

  6. lembrando que para extrair , refinar , transportar e até tirar do tanque pela bomba do posto gasta muita energia também …

  7. Eu não vejo a bicicleta elétrica como uma mera política de redução de danos, mas como já uma guinada de mentalidade importante. Uma pessoa que adota uma bicicleta elétrica deu já vários passos importantes: está disposto (ou aprenderá) a carregar só o essencial para o seu dia-a-dia, está disposto a se deslocar em velocidades baixas (médias de 20-25Km/h na cidade), e verá que é perfeitamente viável, está disposto (ou aprenderá) que é inteiramente possível enfrentar frio/chuva/sol sem estar em uma bolha climática artificial. Esta pessoa já não vê o seu meio de transporte como fonte de status (quanto mais caro/bonito/potente, melhor), mas como um instrumento para o levar do ponto A ao B de forma eficiente. Essa pessoa não olha para pedestres e ciclistas como seres inferiores, mas como iguais ou até com uma pontadinha de inveja saudável (pelo menos é essa impressão que tenho das vezes que conversei com adeptos desse modal). Os 1/3CV ou 1/2CV que uma típica bicicleta elétrica consome são irrisórios frente a todos esses benefícios, e são dezenas de vezes inferiores ao consumido por uma moto (10CV para uma Bizz, p.ex.) e centenas de vezes inferiores a um carro (60CV para um compacto). Veja: reduzir o consumo energético para 5% (se vindo de uma motoneta), ou menos de 1% (se vindo de um carro) dificilmente pode ser encarado como uma mera redução de danos sob métrica nenhuma. Redução de danos é trocar um SUV por um compacto, um compacto por uma moto, ou adotar um carro elétrico/híbrido. Essas mudanças, sim, só trariam ganhos marginais. O carro elétrico, sim, este é uma falácia. Possui todos os vícios do automóvel tradicional, e simplesmente não haveria como produzir eletricidade para um parque automotivo como o atual sem recorrer a fontes fósseis. No Brasil temos ainda nossa falácia jabuticaba: o etanol. Uma indústria, movida a petróleo (caminhões e tratores), que ocupa importantes áreas agrícolas, e nem o maior país tropical do mundo consegue produzir o suficiente para seu próprio consumo. Quer mentira maior que essa?

  8. Eu uso bicicleta elétrica para ir e vir do trabalho, assim como eu uso minha bicicleta montain bike para pedalar por estradas de terra… às vezes, quando está um tempo mais agradável eu uso a MTB para ir ao trabalho, mas sempre dou preferência a elétrica.Aliás, ela não é eletrica, é a chamada “pedelec”, isso quer dizer que tenho que pedalar como outra qualquer, e normalmente só aumento a potência em subidas que dá aquela ajudinha, às vezes eu desligo ela e pedalo como outra qualquer. Não tenho sobrepeso e adoro pedalar, seja uma fixa, uma MTB, uma speed, uma dobrável, uma elétrica. Achei esse post realmente desnecessário, pois sou uma ciclista que pedalar a algum tempo, faço cicloviagens e optei por ter a bike na minha vida como meio de transporte, tenho sim direito de usá-la quando bem entender.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s