fibra de carbono – cuidado com os excessos

fibra de carbono na verdade é o nome que damos ao composto plástico, de resinas plásticas e tecido de fibra de carbono, que tem sido usado nos últimos anos em diversas peças de bicicleta.

cadê o o resto da bike?

eu tenho uma litespeed com um garfo de carbono – um garfo colnago force, reto, dum modelo que venceu algumas paris-roubaix, e estou montando uma trek 1500 slr que tem um garfo de carbono. afora isso, mais dois garfos de carbono de reserva.

mas não uso outras peças de fibra de carbono. explico.

a fibra de carbono, por ser um material muito plástico, tem servido a fabricação de peças extremamente leves, por que muito delgadas, e projetadas para suportar forças incríveis no sentido em que foram projetadas. mas se sofrem algum esforço fora desse sentido, são frágeis.

nos anos 80 e 90, peças de fibra de carbono não eram muito mais leves que peças de alumínio, por exemplo. e, portanto, usavam muito mais material do que hoje, sendo mais resistentes. caso do meu garfo colnago. eram, como disse um foreiro num fórum de bikes gringo, “antes da fibra de carbono ser leve”…

mas as peças mais modernas são projetadas tendo em mente desempenho e leveza, e não durabilidade… assim, têm sido comum casos de quebras!

além disso, temos muita gente comprando bicicletas topo de linha sem estarem aptas a usá-las. explico.

alguns modelos de competição são focados, projetados, tendo em mente o ciclista profissional. quanto pesa um ciclista profissional? qual a altura dele? um exemplo. andré greipel, um sprinter alemão, tem 1,83m de altura e pesa cerca de 80 kg. é mais alto que grande parte dos ciclistas do pelotão, e mais encorpado também. alberto contador, tem 1,76m de altura e pesa 62 kg. cadel evans tem 1,74m e 67 kg.

agora, grande parte dos ciclistas amadores não possui essa relação peso X altura.  tomo a mim como exemplo. muitos não me acham gordo. mas tenho 1,70 de altura e quase 90 kg. se eu for pedalar num pelotão profissional, serei com certeza o ciclista mais pesado, e um dos mais baixos!

é fato, muitas peças de competição – rodas principalmente – possuem peso máximo de ciclista a ser suportado. quase todas elas, cujos pares pesam menos do que 1400 gramas, são projetadas para ciclistas d, no máximo, 75 kg. é seu caso?

veja, o garfo reynolds ouzo pro é para ciclistas que pesam no máximo 90 kg. esse é um exemplo.

claro, há quem use equipamento pesando mais do que deveria par ao mesmo, excedendo seu limite, sem problemas. o problema é quando o problema aparece.. daí o problema pode ser grande…

a questão é essa: a falha. fibra de carbono não costuma avisar antes. simplesmente racha, quebra… e se isso acontece a alta velocidade, o estrago é grande.

em outros casos, a quebra se dá por esforço. não raro ciclistas muito fortes conseguem quebrar quadros no entrono do movimento central ou nos stays. pela torção lateral do quadro. já houve casos de quem arrebentasse assim quadros de aço, de alumínio… em fibra de carbono, essas mesmas pessoas fazem um estrago grande.

boas peças, bem feitas, costumam durar se usadas dentro dos seus limites. limites de peso e de tempo. equipamentos de topo de linha, de competição, têm prazo de validade. são feitos pra durar uma ou duas temporadas, com o máximo de desempenho. isso vale pra pneus, pra quadros, pra guidões, pra canotes. e não só os de fibra de carbono. muita coisa de alumínio e titânio também. e vale pra tudo: quadros, garfos, canotes, guidões, câmbios, pedivelas e etc…

seta em vermelho indica onde está a rachadura nesse garfo da caloi, com menos de 50 kms de uso.

se quer durabilidade, pegue os equipos de média gama. estes sim costumam não ser os mais leves do mercado, mas são muito mais duráveis.

e se quiser se divertir com peças quebradas, dê um pulo neste blog aqui.

Anúncios

19 Respostas para “fibra de carbono – cuidado com os excessos

  1. Ótimo, e bom o pessoal cair na real, abs e bom pedal,
    Richard

  2. Alias, no caso do Denis, quando ficou com a minha azulzinha, onde acabava de colocar um garfo reynolds ouzo, ele pesava na época uns 120 kg, ele percebeu, que a bicicleta, quando ele freiava, se descontrolava completamente. Ai, levei o garfo para o Klaus, e fizemos um reforço de aluminio na espiga, grudando ele em forma de cone com araldite. Depois melhorou, ainda assim, a peça com certeza não feita para esse peso. Espero entanto que o Denis tenha perdido peso. Abraços e bom pedal,

  3. Putz… agora fiquei com medo… quando chegar em casa vou inspecionar o garfo da minha Caloi Strada!

  4. Tem como estimar a proporção das pernas em relação ao corpo? Você parece ter pernas maiores(fortes) em relação ao corpo que a maioria das pessoas. Como um estereótipo de ciclista de sprint.

    Pelo seu post, pessoas do seu tipo teriam mais chance de quebrar um quadro de carbono só fazendo força. Correto?

    Gente como o Cavendish são um caso a parte.

    • tem como estimar usando aparelhos, rodrigo. sim, eu tenho propensão a torcer quadros. um amigo não me deixou andar na bike de carbono dele… hehehe. se um quadro torce, eu torço. gente como cavendish têm bikes sob medida. a pinarello dogma do petacchi teve reforço nas laterais, ele pediu mais dura. sprinters, como ciclistas de pista, normalmente torcem e racham quadros. o cavendish veio das pistas, isso dá uma medida.
      e sim, geneticamente falando, sou um sprinter.

      • Pois, mas o Cavendish *não* é um cara grande e *forte*. Ele tem 1,75m e 69kg. Proporcionalmente ele tem o meu corpo, sem barriga… heheheh.

        Vai ver as fibras musculares dele são todas de um tipo só…

  5. Alemão com 1,83 sou eu, hehe, só que tenho 90 Kg…

  6. EU tenho um quadro de carbono comprado diretamente de um fabricante chinês. Ele é um quadro “generico” da Pinarello, modelo Prince de 2010. EU já tive outro desse, da mesma fábrica e percebo que uma diferença (entre várias) deste e o original é que ele tem mais aplicações de fibra e resina, por tanto, o peso também é maior. Eu tenho 1,83m de altura e 78kg, em sprints acima de 60km/h não percebo muita flexão dele. Mas se comparado a um outro quadro que tenho de aço (tubulação Over Max – próprio pra sprinters), ele torce um pouco sim. Mas, em geral o quadro de carbono da china, que tenho, parece ser bem resistente.

  7. Não entendi essa observação escrita acima no texto: “a fibra de carbono, por ser um material muito plástico”
    Um composto de fibra de carbono tem pouquíssima plasticidade. As fibras de carbono tem um tipo de ruptura chamada de frágil, ou seja elas se deformam muito pouco antes de se romperem, ao contrário de um aço por exemplo. Quanto a questão da durabilidade de quadros de fibra de carbono, como é um material não suscetível à fadiga ele não tem prazo de validade de forma alguma.

  8. Quantos kilos suporta um quadro de carbono?

  9. ola..alguem pode me responder,moro no litoral norte de SP,as estradas não são boas digo as retas,as estradas das montanhoas são boas,quero colocar garfo de carbono,mas depois de ler esta materia fiquei com receio,pelas estradas serem ruis quando ando parecese que estou em sima de uma esteira vibratoria,sera que compensa???roro70pe@gmail.com

  10. ola..adquiri um garfo vicine carbon modelo tech x-f16 pesa 500g ,dis fabricado na Itália, você conhece este modelo???

  11. dis o vendedor que veio da Italia a nota fiscal produto importado ITALY.
    mas qual a diferença???

  12. Tenho uma caloi sprint 10 e coloquei um garfo Look de carbono, original, com manual e tudo, tenho 78kg e ando 200km por semana, agora fiquei com receio!!!!! Sera que volto pro aluminio???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s