política e bicicletas no país dos orcs.

o brasil é um país de orcs. sim, orcs. orcs são seres da mitologia de j.r.r. tolkien. entenda o que é um orc clicando aqui.

um brasileiro

note a caracterização do orc como estúpido. sim, estúpidos às vezes são metidos a espertinhos. como as pessoas que viajam em barcos pelo rio amazonas ou no mar, e vão jogando latinhas de refrigerante na água… ninguém vê, né? não fica à vista….

ou as pessoas até bem intencionadas, mas incapazes de enxergar um palmo além dos seus narizes. como o doutor jorge dos santos silva, médico ortopedista, chefe do grupo de trauma ortopédico do instituto de traumatologia e ortopedia do hospital das clínicas da faculdade de medicina da usp.

entrevistado por viviane gomes, em reportagem do diário oficial, doutor jorge esfiou besteiras, todas aceitas como verdade pela foca. e claro, ficou a impressão de que o govnnro do estado desestimula o uso da bicicleta.

realmente, doutor jorge, andar de bicicleta predispõe a tombos. realmente, é melhor andar em ciclovias de parques. melhor ainda é não andar de bicicleta…

por essa lógica, seria melhor não sair de casa. e claro, dado o perigo que existe em se cair dentro dos banheiros, inclusive no banho, seria bom que usássemos capacete ao nos banhar…

é, esse é o raciocínio estúpido consistente em só focar um problema sem entender suas causas, e as práticas que as levam. o william, no vá de bike, explicita muito bem todos os problemas da reportagem mal feita. leia. o pásqua também, bem demonstra como a reportagem do diário oficial é canalha.

a reação à reportagem mal feita por viviane gomes (uma foca?), que não analisou os dados e usou de apenas uma fonte (erro que qualquer jornalista evita cometer) foi imediata. thiago benicchio, diretor geral da ciclocidade, foi entrevistado pelo jornal o estado de são paulo.  e claro, o governo do estado de são paulo percebeu logo a besteira feita e apressou-se a dizer que não tinha nada a ver com isso… e divulgou uma nota.

claro, são besteiras feitas com dinheiro público. sabrina duran bem explica a gravidade de uma matéria não apenas mal-feita, mas tendenciosa, feita com o meu, o seu, o nosso dinheiro.

é um festival de besteiras. há dias josé serra afirmou que, se eleito não colocaria mais ônibus em circulação pois isso aumentaria os congestionamentos. paulinho da força disse que ciclovias eram um convite para a morte. procure na net e achará essas afirmações estúpidas.

é o raciocínio orc, estúpido, vigorando. pensar além de um palmo além do próprio nariz deve custar muito… será que é dolorido para essas pessoas?

pois bem, há quem pense a cidade. duas entidades sérias, o instituto ciclobr e a associação ciclocidade, estão há tempos pensando a questão da mobilidade por bicicleta na cidade de são paulo. essas duas entidades são usinas de idéias, são polos de produção de soluções. o interessante é que não focam única e exclusivamente o uso da bicicleta, mas defendem também pedestres, e o transporte integrado.

depois de um bom tempo de elaboração de propostas essenciais ao assunto, com consulta a diversos e profundos conhecedores do assunto, divulgaram uma carta compromisso a ser assinada por candidatos à eleição. só um candidato burro não assinaria. e mais, se descumprir, não apenas estaria descumprindo um compromisso assinado. mas, principalmente, estaria descumprindo legislação.

pois temos uma legislação municipal relativa ao plano cicloviário. mas, além disso, há uma lei federal de mobilidade urbana!

por isso, esses fatos que vemos em são paulo podem ser replicados a qualquer município do brasil. problemas de mobilidade urbana existem no brasil inteiro. e a carta-compromisso elaborada pela ciclocidade e pelo ciclo-br deve ser adotada, com adaptações, por outros grupos mobilizados em outras cidades. não é uma questão exclusivamente paulistana. ou acaso a mobilidade por bicicleta é tranquila em brasília? é segura em porto-alegre? e em recife? salvador?

um político brasileiro

sim, o brasil é um país de orcs. políticos que não enxergam um palmo além do próprio nariz, vale dizer, a própria eleição e depois encher os bolsos de dinheiro, hoje precisam cada vez mais enquadrar-se em legislações que vão, progressivamente, fechar os caminhos da estupidez e da mesquinhez  na administração pública. acaso corrupção não é uma forma de mesquinhez? vender o futuro da sociedade em nome do lucro privado e imediatista?

é, é ano de eleições. promessas virão. candidatos que já passaram pelo governo  estão chamuscados pelo que não fizeram. em são paulo, por exemplo, nas ruas, nos botecos, nas conversas de taxistas o compromisso firmado por josé serra, há anos atrás, de permanecer na prefeitura e depois largar o mandato no meio, pra candidatar-se a outro cargo, é sempre lembrado. o povo não esquece de determinadas coisas. 

gabriel chalita espertamente está mirando a classe D. se for esperto mesmo, falará da bicicleta. falar de bicicletas pega bem na classe média escolarizada, e nas classes baixas. estas últimas usam a bicicleta por economia, e a classe média escolarizada usa por conhecer a bicicleta como solução de mobilidade urbana viável. é a classe média desescolarizada (dinheiro não garante cultura nem inteligência) é que sempre clama por obras para carros.

é fato que a carta de compromisso com a mobilidade por bicicletas será assinada rapidamente por gabriel chalita, fernando haddad e soninha francine. não à toa os três candidatos mais cultos da eleição paulista desse ano. e nem por isso lá muito cordiais entre si. soninha já está atirando em fernando haddad, justamente discutindo a bicicleta. leia aqui.

é, conforme já bem notou o inteligentíssimo daniel santini, hoje as pessoas buscam dados. não há mais espaço para declarações imbecilizadas como as anteriormente feitas por josé serra e paulinho da força. elas ecoam. serão lembradas por muitos, e questionadas pela falta de embasamento, pela sua própria estupidez. ambos voltaram atrás depois, mas o estrago já estava feito.

por fim, vale a advertência aos candidatos, conforme a letra de bob dylan:

Then you better start swimmin’
Or you’ll sink like a stone
For the times they are a-changin’.
(caso não tenha percebido, os sublinhados contem links. clique neles. divirta-se. ou não).
Anúncios

Uma resposta para “política e bicicletas no país dos orcs.

  1. Muito bom texto. A população precisa saber disso.
    abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s