volpe

linda!

mais uma bicicleta da série “a caloi nunca vai fazer uma igual”.a bianchi tem sempre 6 ou 7 modelos em aço. sempre de boa qualidade. no caso dessa bicicleta, é desse modelo que, há décadas atrás, a caloi fez a caloi 10 (modelão antigo, confortável, ainda com aro 27). o modelo da bianchi evoluiu, virou uma ciclo-cross, ou também uma touring de aro 700c. clique aqui para ter mais detalhes. note olhais para bagageiros e para-lamas, essenciais para quem é ciclista todo santo dia, e não só nas ciclo-faixas dominicais.

tem gente que acha que esse tipo de bicicleta não vende. mas a bianchi oferece em 7 tamanhos! ou seja, demanda tem.

e a caloi, por que não consegue fazer uma dessas a um bom preço? ora, pois não quer. por cerca de 100 dólares a unidade (claro, em grandes compras) compra-se quadros de cromo-molibdênio chineses com garfo anexo. como a caloi já usa outros quadros chineses, não precisaria abrir um novo canal. bastaria mandar vir uns 2 ou 3 containers, e montar com peças shimano sora – e freios cantilever que não sejam de plástico. poderia, se quisesse, oferecer a menos de 2.000 reais no mercado. há tanta gente pagando mais de 1500 reais para importar apenas quadros dos e.u.a… a caloi, por cegueira (ou pelo fato de que quem projeta e desenvolve seus produtos não pedale), deixa passar essa oportunidade. depois eles não sabem por que a marca anda tão desprestigiada entre tantos consumidores.

Anúncios

10 Respostas para “volpe

  1. A Caloi só decepciona. Parece que eles tem uma equipe focada em colocar problemas conceituais em tudo que eles fazem, e essa equipe iria dar um jeito de transformar uma idéia de ouro em M* (o famoso toque de Midas inverso). Se eles tem um quadro razoável por preço bom, colocam peças ruins, se colocam peças boas, colocam relação errada para o usuário alvo, se colocam a relação certa, erram no preço, se não erram no preço, fazem “tamanho único”… Hoje, todo o portfolio da Caloi se divide entre as bicicletas lixo e as bicicletas que simplesmente não valem a pena.

    • “só decepciona” é um exagero. A Caloi acordou para demanda urbana tem mais de ano, e em 2012 tomou vergonha na cara e lançou a belíssima Konstanz, pra alegria das moças (e dos rapazes mais baixinhos e estilosos).

      Mas, claro, está longe de estar onde poderia estar.

      • konstanz é uma bicicleta pra passeios, não é uma bicicleta pra uso urbano de transporte. onde estão os olhais pra bagageiros e para-lamas? hoje é um dia chuvoso em são paulo, e uma amiga que caiu no logro de comprar essa bike tá querendo vender adela, pq não consegue colocar para lamas e precisa de um bagageiro, e não de uma cestinha pra encher de flores. é assim que a caloi perde usuários.

      • Taí porque a Caloi decepciona, essa é uma bicicleta quase boa. Para começar só tem um tamanho (vc mesmo disse, os compradores tem que ter a estatura certa para comprá-la, ao invés do produto ter opções de tamanhos adequados aos compradores) depois o preço é muito alto pelo que oferece (é bike para 800,00 ou 900,00 pilas, não 1400,00), e ainda tem uns poréns técnicos. Esse é o problema da Caloi, eles tem várias bikes que poderiam ser boas, mas eles vão e estragam nos detalhes.

      • Odir, a Konzsanz JÁ vem com paralama. E cesta. Removível.

      • e a cesta é suficiente? não, não é. minhas amigas que caíram no logro dessa bike já passaram adiante, pq alforjes não são instaláveis. quem faz percurso um pouco maiores – e aqui em sp, 15 km de ida e outro tanto de volta é percurso curto pra muita gente – uam cestinnha não é suficiente. e isso sem falar que o que tá na cesta voa longe na hora que vc passa num buraco numa descida. esse é o motivo pelo qual as meninas preferem os alforjes.

        ________________________________

      • eu uso apenas cesta, Wald removivel, na minha Fuji Crosstown Ladies. Na Dahon Curve usava nada – e no bagageiro dela ia so livro.

        Dou inclusive carona pra namorado e amigos na Fuji, sem bagageiro – so com apoio de pé atrás. Cycle-brau Style. Toda a minha roupa eu lavo na casa de minha mãe, 12km de distancia da minha. Levo na cesta. Mercado em geral faço a pé, mas a cesta serve se precisa.

        Sinceramente, não gosto e não preciso de alforjes e bagageiros. E estou bem longe de ser usuario moderado ou de passeio…

  2. O problema eterno do empresariado brasieliro e das grande empresas em gerla é a “cegueira” diante dos nichos de mercado. A empresa monta sua estratégia numa linha, daí “azeita” a amáquina e percebe, alí adiante, que o desejo do consumidor mudou ou tomou outro rumo… o que fazem?? tentam perverter o mercado, simplesmente não oferencenndo opções, poi sseus parque produtivos estão desenhados p/ tal tipo de produto, e custaria muito desviar / flexibilizar a produção… etc, etc.

    ..enfim, é complicado

    Abr

  3. Hérlon - Juazeiro-BA

    Odir, meu atual sonho de consumo é uma bike desse tipo. Culpa sua, rs. Sugiro que dê uma olhada na Space Horse da All City. Muito legal! Abs.

    • olha, sugiro vc juntar todos os tostões possíveis e importar um quadro surly ou pakê. custam em média nos e.u.a. 400 dólares. jute os tostões, eu levei 2 anos mas montei minha surly. vale à pena.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s