TDF 14ª etapa: popeye segue adiante

muita gente acha thomas voeckler parecido com robin willians e com popeye. popeye é o personagem dos desenhos que come espinafre e fica mais forte. pois bem, voeckler deve estar comendo muito espinafre.

thomas voeckler chora ao pegara camisa amarela mais uma vez

a etapa de hoje teve a montanha mais dura. jelle vanendert, belga da equipe omega pharma lotto venceu, e arrematou a camisa de bolas vermelhas. atacou forte na última subida, muito forte, ultrapassando o fugitivo sandy casar. foi seguido por samuel sanchez, da equipe basca euskadi euskatel, que tem fieto bonito em algumas etapas, e as bandeiras bascas são sempre vistas nas etapas de montanha dos pirineus.

mas o interessante foi o pelote dos líderes. uns marcando os outros. cadel evans, ivan basso, alberto contador, thomas voeckler, irmãos schleck…. todos marcando todos, poucos atacando…

vanendert vence

alberto contador ainda se recupera do imenso azar na primeira semana: tombos que o fizeram perder muito tempo e lesionaram o joelho direito. acrescente-se a isso o cansaço do giro d’italia. com isso, era para os outros aproveitarem e afastar esse concorrente… fizeram? não!

ora, nessa marcação mútua quem ganha é thomas voeckler. o francês está agarrado à camisa amarela. há dias se espera que ele a perca em alguma etapa de montanha. mas não, tem conseguido acompanhar os favoritos que, conforme se vê comparando com médias de velocidade de tempos atrás, de outras edições do tour, não estão socando a bota como se espera. e o único que tem razões para isso é alberto contador.

um trecho da subida

os demais prepararam-se exclusivamente para o tour. estão descansados. participaram apenas das clássicas de primavera e provas menores. nenhum foi para o giro d’italia, com suas montanhas intermináveis.

ora, se nas etapas de montanha seguintes  os irmãos schleck não abrirem um bom tempo em relação aos demais, quem lucra são cadel evans, thomas voeckler e alberto contador.

thomas voeckler está à frente. se ninguém diminui sua vantagem ou lhe passa na soma geral dos tempos, permanece com a amarela. pode chegar assim a paris. cadel evans está muito próximo de vockler, é o que tem menos tempo a tirar dele. 2 min e 6 seg. frank schleck tem menos, mas não é o capitão da equipe, deve trabalhar para o irmão. andy schleck tem 2 min e 15 seg. alberto contador tem 4 minutos, e damiano cunego tem 4 min 01 seg.

mas aí o detalhe. a penúltima etapa é um contra-relógio longo, individual. quem tem o melhor contra-relógio destes é alberto contador. e isso é importante. em 1989 greg lemond estava atrás de laurent fignon 50 segundos. no contra-relógio final foi 58 segundos mais rápido, e venceu aquele tour. na última etapa.

alberto contador pode muito bem tirar 2 ou 3 minutos sobre andy ou frank schleck no contra-relógio. mas precisa aproximar-se dele nas próximas etapas.

a etapa de amanhã, de limoux a montpelier, é plana, uma etapa para sprinters. aliás, cavendish tem conseguido sobreviver às montanhas, sempre nos tempos finais, próximo ao horário de corte. talvez vejamos mark cavendish e tambéma lessandro petacchi ou thor hushovd disputando a chegada. se tudo correr como sempre corre, os favoritos chegam com o pelotão, salvo tombos ou outros problemas. pois tombos há, sempre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s