viajando de bike

tradicionalmente chamamos de cicloturismo viajar de bike. muita gente faz da viagem cicloturística um programa com pedaladas todo dia na viagem.

eu tenho feito algo diferente. viagens aqui e ali, pra encontrar pessoas, ficar com elas, curtir lugares, mas deslocando-me de um lugar ao outro usando a bicicleta.

comecei no final do ano passado, quando fui à curitiba, no natal, levando a bicicleta junto, e tudo nos alforjes. no dia 29 de dezembro subi com meus pais para rio negrinho, no norte de santa catarina. levei a bike. no dia seguinte, desci a serra até são francisco do sul, perfazendo 140 kms  naquele dia. passei o reveillon em são chico, na casa de uma tia. dias depois, fui à casa dela em joinville, pedalando. coisa de cerca de 40 kms. fiquei uns dias em joinville, e rumei mais 90 kms ao sul, até navegantes,  onde fiquei mais uns dias na casa de outra tia, curtindo a praia. voltei de carona pra curitiba, de de lá de ônibus a são paulo.

no último feriadão participei de um encontro de mochileiros, em são lourenço da serra. 65 kms da minha casa. claro que fui pedalando, e voltei pedalando. o relato está aqui.

nessas viagens, a bicicleta foi o meio de transporte de um ponto a outro, mas não a atividade principal. foi apenas o meio de deslocamento, um meio privilegiado, claro. na descida da serra entre rio negrinho e são francisco do sul, desci uma serra linda, e inobstante o asfalto ruim e a ausência de acostamento em diversos trechos, eu faria de novo, fotografando tudo. as vistas são lindas. mas foi um trecho curto de 140 kms apenas. não é como fazer um circuito de cicloturismo. é diferente de fazer o caminho do sol ou o circuito do vale europeu. é outra coisa. aliás, estou tentado a fazer no próximo verão muitas viagens ali em santa catarina, subindo e descendo serras por cidades que não estão exatamente no circuito turístico.

uma coisa que noto nessas viagens é a extrema receptividade das pessoas. a bicicleta enquanto transporte no turismo ainda é algo muito raro no brasil, de modo que as pessoas conversam, oferecem comida, pouso e etc. e claro, poder conversar com os locais desarmados é sempre uma forma muito melhor de conhecer mais profundamente a cultura local. viajar de bike, coma bicicleta, é o que há.

Anúncios

Uma resposta para “viajando de bike

  1. Parece que leu meu pensamento, “cobrir distância” não é a melhor cicloviagem. Escolher estradas calmas e mesmo terra pelas secundárias muda toda a perspectiva. Porque “comer asfalto” não está com nada, tem que antes amar o que vai ver no caminho e/ou no destino, tem que gostar e saber porque está indo, tem que ir num ritmo que possibilita a contemplação, a bicicleta é o meio e não o fim.
    Do contrário faço Audax …rs, aí sim.
    abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s