porque campanhas de trânsito não dão certo no brasil

observe as campanhas abaixo. as duas primeiras são da TAC, transport accident comission, da austália, e a terceira é da prefeitura de são paulo. claro, o brasileiro não gosta de ficar chocado. de um monte de coisa não se pode falar, mostrar, não é?

agora pergunte-se onde é mais seguro o trânsito. não é exatamente no brasil, é?

é, esse último vídeo é bem simpático, com essas zebras falando….

esses australianos talvez sejam muito dramáticos, não? então vamos ver um filminho canadense. peraí, a meniniha se jogou na frente do carro! claro, a culpa é sempre de quem não respeita o espaço do carro nas ruas! claro, claro! mas peraí, é isso que o vídeo mostra?

não é bem isso, é? pois é… nos ditos países mais avançados, funciona assim: o mais forte necessariamente precisa proteger o mais fraco no trânsito. mas no brasil não. a culpa é do pedestre que não está na faixa, é do ciclista que se joga na frente do carro ou do ônibus… é mesmo, eles não sobrevivem pra dar sua versão. mas sabemos que não foi acidente.

 

About these ads

6 Respostas para “porque campanhas de trânsito não dão certo no brasil

  1. lembra as primeiras campanhas contra DSTs no carnaval, primórdios do SUS: Justiça não deixava mostrar gente colocando uma camisinha numa banana, porque isso insinuava um pênis.

    “E camisinha é pra colocar onde, senão num penis? Na orelha, por acaso?!” – bradava a militância da reforma sanitária na época.

    Na época, por conta disso, havia quem inclusive ingerisse camisinha como se fosse uma pílula. Obviamente ia parar no hospital, emergência, em seguida. Com princípio de sufocamento.

    • Boa, Lucas.
      Ainda assim as campanhas de saúde no Brasil são as melhores…
      E trânsito, uma das maiores causas de mortalidade no país, não é considerado problema de saúde. Em qual outro país do mundo é permitido carregar escadas na capota de carros compactos? Já pensou ser atropelado, mesmo de leve, por uma escada voadora…?
      As campanhas de utilidade pública no Brasil ainda estão muito aquém da publicidade comercial. Adivinha por que!

      • não são as melhores. Prevenção de DST deu um giro de 180º e caiu numa paranoia do “use camisinha para tudo” que só na última década vem sendo debelada (ha 10 anos se falava de usar papel filme pra sexo oral em mulheres, mesmo não havendo um único caso de lesbica com HIV no mundo).

        o correto seria incentivar o sujeito a governar seus proprios riscos: camisinha se houver penetração fora de relações estaveis sem testagem previa. Pegação? pode ser sem camisinha, se ficar só no sexo oral. Etc

        isso se chama desgenitalização sexual, e já vem sendo aplicada na pratica nos Centros de Referencia em DST do SUS. E é muito semelhante sim a questão dos capacetes. Capacete é necessario pra pedalar? Depende do uso. Quem vai julgar isso? o sujeito, devidamente capaz de julgar por ser bem informado e por ter habito e pratica.

  2. O melhor video de campanha que já vi é esse:

  3. Parece até uma campanha exagerada para um país com índices baixos de mortes no trânsito (falo do Canadá). Na verdade, o tom pesado da campanha explica os índices. Muito bom.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s