a altura certa do selim

sejamos sinceros, não existe altura certa para o selim da bicicleta. existe a altura mínima. mínima para se ter um desempenho razoável e também para não ter lesões.

selim baixo é responsável pela grande maioria dos casos de dores no joelho ao pedalar, e também pelo desempenho sofrível… com o selim baixo, fica difícil girar. as subidas ficam pesadas…. os outros ciclistas ficam rápidos demais…

mas como saber se o selim está na altura adequada? bom, primeiro esqueça os mitos:

- selim na altura do ossinho da bacia. isso é mito. pois cada bicicleta tem uma distância diferente entre a caixa do movimento central e o chão. some-se essa medida individual da bicicleta a outra, que é o tamanho do braço da pedivela, que também varia, e a geometria do quadro, e também a espessura dos pneus… observe que se trocar os pneus por pneus mais finos a bicicleta inteira fica mais baixa, mas a distância mais longa entre o selim e o pedal permanece.

então, se cada vez que se trocar o pneu, a bicicleta sobe ou desce, mas o o ossinho da bacia não, vamos mudar o selim de posição? claro que não….

para colocar o pé no cho, mesmo de salto, é preciso sair do selim. foto de mikael colville-andersen

- colocar os pés no chão. esqueça. se o selim está na altura mínima pra não haver lesões não se consegue colocar nem a ponta do pé no chão. então, ou a bunda está no selim, ou o pé no chão. ao parar a bicicleta, desça do selim antes.

mas a questão é saber: quão alto deve estar o selim? a altura mínima é a altura do seu cavalo: das partes baixas ao chão. esse distância é a distância que deve estar o selim do ponto mais distante que o pedal pode estar do selim.

mas não se precisa saber essa medida pra ajeitar o selim. não precisa de fita métrica. mas pedir para alguém segurar a bicicleta para nós, montar na bicicleta, apoiar os calcanhares no pedal (esse detalhe é muito importante), e pedalar para trás. ao fazer isso, a perna tem que esticar toda. se não esticar toda, o selim está baixo. se esticar toda e o pedal sair de baixo do pé, o selim está alto demais.

esse é o teste mais preciso que existe. claro, não pedalamos com os calcanhares. pedalamos com a parte frontal do pé, antes do início dos artelhos, apoiada no pedal. é a parte mais larga do pé. assim, nunca esticaremos totalmente a perna ao pedalar.

essa posição permite que pedalemos sem sentir dores por esforço excessivo sobre os joelhos. também permite girar bastante.

normalmente, quando levantamos o selim da bicicleta de alguém que estava usando-o muito baixo, as pessoas costumam relatar que a bicicleta ficou repentinamente mais leve e rápida….

agora o detalhe. essa altura, medida dessa forma, é a altura mínima. sim, mínima. o selim pode estar acima disso, e é comum. eu mesmo uso acima dessa medida. há quem recomende que a altura do selim em relação ao pedal seja a altura do trocânter maior ao solo. eu mesmo prefiro usar assim. mais infos nesse link.

claro, nem todo mundo pode usar o selim nessa altura. crianças que acabaram de tirar as rodinhas e adultos que acabaram de aprender a andar de bicicleta são inseguros e precisam ter a sensação de colocar o pé no chão pra não cair. é uma sensação sem fundamento algum na realidade, mas funciona na cabeça deles. respeitemos.

por outro lado, algumas modalidades acrobáticas que usam a bicicleta mas muito pouco se pedala também exigem selim baixo para não atrapalhar manobras. aí não há problema, pois a pessoa não está pedalando mesmo. dá apenas algumas pedaladas pra pegar impulso, e só.

bom, você pode usar a altura do selim como quiser. mas lembre, não esqueça: se estiver abaixo da altura mínima, e você der mais do que uma voltinha no quarteirão, lesões virão. e com elas, dores.

as dores são fortes. e o interessante é que depois você sentirá as dores dos outros. vemos uma pessoa andando de bicicleta com o selim baixo e já nos dói a visão…. por isso, se alguém lhe avisar que está com o selim baixo, entenda, essa pessoa está tentando proteger-lhe de uma lesão. ouça o conselho. e sim, é preciso aprender a descer do selim ao parar a bike.

About these ads

26 Respostas para “a altura certa do selim

  1. Odinn … esse post é a SUA CARA … Rsrs
    E conforme fui lendo parece que você estava na minha frente falando todas essas coisas … Kkk … (Sobe na bike, poe o calcanhar no pedal, gira para tras … ) Porem isso realmente da uma diferença e tanto na vida do ciclista … foi exatamente isso que senti da primeira vez que vc subiu meu selim … a bike ficou leve e ficou mais facil pedalar …
    Bjs

  2. e quem usa freio-de-pé? Muito cyclebrau bahiano usa, e precisa por isso de celim mais baixo. Desempenho ruim? Longe disso! Com uma marcha só, um deles me acompanhou quase até em casa, e eu de Fuji.

    • lucas, seus comentários são interessantes. peça pra essa pessoa lhe acompanhar na subida de campos do jordão, pedalando sentada. “freio de pé” se usa na roda, não no chão. mas eu não comento quem anda sem freio por aí, com bicicleta caindo aos pedaços. ajudo pessoas assim, forneço peças, consigo bikes doadas. sempre se ajuda quem quer melhorar, mas quem não quer, paciência. lesão no joelho sempre vem. muita gente chega na terceira idade com problemas no joelho e nem sabe o pq… passou a vida inteira andando de bicicleta numa cidade plana, com o selim lá embaixo, e depois diz que o problema é da idade….

      • eles não fazem por pobreza, no sentido de miserabilidade, mas por estilo, opção estética, quiçá política. #CycleBrau, já disse, é a superação xibieteira do CycleChic.

        E repito: de minha Fuji, meu joelho estica todinho no pedal – and yet, se eu tiro o pé dele, trisco no chão. Urbanas são assim, Odir: o pedal é intensionalmente baixo, peculiarmente baixo.

    • e óbvio que só usa bike sem marcha em Salvador quem não precisa acessar os bairros de cumeadas. Esse rapaz mora na Barra Avenida e trabalha no Rio Vermelho. 6km, tudo plano, nenhuma montanha. Já eu, encarapichado na Gamboa de Cima (o olho do furacão, entre o luxo e o lixo: entre o Chez Bernard e os podrões da Carlos Gomes, entre a Vitória e os Aflitos, entre o TCA e os craqueiros da Avenida Contorno), no dorso da tigra, na anca da bacante negra, 100m acima do nível do mar, vistão para a ilha de Itaparica – eu que não tenha marcha não, que me fodo todinho!

      (embora Salvador não seja uma cidade de ladeiras, mas sim de cumeadas – há, o urbanismo islmâmico lusitano, dando de 10 a 0 nos quadriculos planos e inundatórios dos hispânicos!. Uma vez no topo de uma, se atravessa 4, 5 bairros sem aclive nenhum. E um percurso longo em Salvador se sobe uma, no máximo duas ladeiras).

  3. Oi Odir,
    òtimo o artigo da altura do selim. estou preparando o próximo artigo para o nosso blog, e como sempre lutando como estrangeiro com o português. de vez em quando seria bom ter ajuda. acho que deveriamos ter mais redatores para o blog porque mais cabeças pensam melhor. gostaria de convidar você para também preparar algum artigo de interesse dos randonneurs para o nosso blog, ou de simplesmente nos autorizar a publicar algum dos seus artigos. como o artigo acima. já estou vendo o título Dica 4 por Odir a altura do selim. seria um ótimo complemento para Dica 2 pontos de contato traseiro e selim e a Dica 3 pontos de contato pé e pedal (em preparação).
    abraços e bom pedal,

    • obrigado, richard! meu blog funciona em creative commons, tudo pode ser reproduzido citando a fonte. ajudo num texto sim, posso palpitar em texto seu, escrever se quiser algo específico, seria um prazer!

  4. Ola, as bikes deste tipo:

    http://www.bicycleman.com/crank-forward-bikes/crank-forward-bicycles.htm

    permitem colocar o pé no chão e ter uma correta maneira de esticar as pernas.
    São boas para cidade e passeio. Que tem muitas paradas.
    abs

    • ah sim, essa é uma semi-reclinada. semi-reclinadas e reclinadas normalmente permitem colocar o pé no chão, em razão da posição diversa do corpo. e triciclos, reclinados ou montados, até permitem que possamos parar sem colocar os pés no chão. triciclos reclinados são usados em viagens por isso, pois também não exigem que se mantenha o equilíbrio, e possuem grande capacidade de carga.

  5. Olá ogum777. cheguei aqui pelo mochileiros.com!

    gostei do blog, e sou alguém adepto da mesma teoria.
    Mas tenho um problema, tenho uma bike muuito antiga, mais velha que eu, da Sundown. Era uma pra mountainbike, meu pai praticava antigamente. Ela é excessivamente pesada, mas o câmbio é razoável, e como não tenho grana sobrando, vou levando. Meu trajeto varia, mas o mais comum é casa-trabalho-casa. Tem 2 morrinhos, o resto plano, mas com paradas, frenagem, aceleração, e tudo o mais.
    Mas o selim não fica alto o suficiente pra mim, que tenho pernas muuito longas. Tenho 1,85, e me considero desproporcional. Logo, mesmo com o selim no limite da segurança (pra que não caia fora) eu ainda consigo por os pés no chão, minha perna não estica bem, faltavam uns bons 10cm. Além disso eu fico “deitado” pra frente, parecendo que o guidão fica muito baixo. Não sei se assim é adequado, não conheço quase nada do assunto, mas amo andar de bike. Acho desconfortável, pois coloca o peso do corpo sobre os punhos.

    Nos finais de semana gosto de ir pro interior, e como moro no pé da Serra do Mar, é só ladeira. Lá eu sofro muito. Não sinto dores, mas falta desempenho. É tudo estrada de chão, logo a bike tem que ser quase que “de trilha”.

    Tem como conseguir selim com um “pescoço” mais comprido? Nas oficinas de bicicleta por aqui não se acha, é cidade pequena.
    Bikes novas, não achei nenhuma boa, das “normais”, que eu posso pagar.

    E agora ogum?
    Agradeço respostas.

    • olha, precisa ver o tamanho desse canote. há no mercado canotes de 40 cms, eles podem ser a solução pra altura do selim, mas não para a altura do guidão. pode eventualmente trocar po rum guidão mais alto. uma outra opção é procurar um quadro do seu tamanho – só o quadro, e fazer o transplante das peças. essa é uma opção comum. trocando só o qaudro a conta sai bem mais baixo! tente isso também!

  6. Pingback: Dicas para o cicloturista descer a Rota Marcia Prado | O Bicicreteiro

  7. Legal Ogum!
    Mas, como é que vou descobrir qual o tamanho do quadro “compatível” comigo? Aqui não tem ninguém especializado na área, só consertadores de bicicletas. Não posso gastar muita grana, isso é o triste.

  8. Pingback: Dicas de ciclistas experiente. « Trilha Livre

  9. Eu estou reaprendendo a andar de bicicleta, sou muito inexperiente ainda, mas tenho treinado com as bicicletas para alugar que a prefeitura instalou aqui em Porto Alegre. Senti isso da altura do selim na prática: por insegurança, comecei com ele muito baixo, mas a medida que fui confiando mais (e cansando!) comecei a colocá-lo bem mais alto e ficou muito mais confortável para pedalar! Realmente faz muita diferença, pena que na hora de embarcar/desembarcar seja muito mais complicado com o selim alto. Mas nada que a prática não resolva ;)

  10. Ótima postagem, obrigada por compartilhar essas informações! Amanhã mesmo ajusto meu selim, que está na altura do ossinho da bacia
    =D

  11. Valeu, Ogum. Acabei de descobri seu blog e já vem respondendo muitas e muitas perguntas minhas. Estarei esperando por mais artigos, rsrsrsrsrs. E já estou divulgando!!!

  12. Agradeço tb por este post, pois acredito que suas dicas sejam até mais importantes para iniciantes como eu. Acompanharei este blog, pq ele é show. ^ ^ Y

  13. Denise Maria C.P. Plassmann

    Bom dia,
    Tenho 63 ano, sou insegura na bike e se meus pés não tocarem o chão eu entro em pânico, meus braços enrijecem e eu faço feio, me desequilibro totalmente. Tenho tendinite no dedo polegar e indicador, ganhei uma bike que troca marchas rolando o controle,
    Você pode me sugerir algo?
    Muito obrigada
    Denise

    • bom, o que pode lhe ajudar é a prática. apenas a prática. com a prática, perdemos o medo. e é após algum tempo de treino que nós percebemos que podemos sair do selim da bicicleta e tocar os dois pés no chão, em pé. e, na primeira pedalada subimos o corpo e voltamos ao selim. essa é uma operação relativamente simples, mas pede prática. o ideal é treinar em áreas protegidas, treinar bastante subir e descer da bicicleta, com o selim numa altura que permita apenas tocar a ponta dos pés no chão. com o tempo a gente perde o medo. com crianças, é possível simplesmente tirar o selim por algumas horas, o suficiente para a criança aprender a pedalar em pé e perceber que não precisa estar sentada no selim para montar e desmontar da bicicleta. mas quanto ao medo, é só a prática que o afasta. quanto aos trocadores de marcha, eles são desses de rolar, chamados de gripshifters, ou de gatilho, com dois gatilhos. esse segundo tipo pode ser pior para trocar marchas por quem tem alguma tendinite. o de rolar ainda é o menos penoso, no seu caso.

  14. Muito bom artigo. Adoro banco alto, é raro passar por mim uma bicicleta com banco mais alto que o meu, ao contrário e não sou assim tão grande (aproximadamente 1,76/1,77 variando com o dia). Meus joelhos doíam até que descobri isso já há bastante tempo. Fui procurar hoje artigo sobre isso e achei este seu, ótimo. Obrigado.

  15. Concordo com o seu ponto sobre a altura do selim, mas passo sempre por uma situação em que é necessário por os pés no chão: o trânsito. Pedalar no trânsito implica muitas vezes em ter que passar por espaços apertados que sobram entre os carros, e nesse momento eu sempre diminuo bem a velocidade pra não correr o risco de bater. Como a minha bike é dobrável, as rodas são pequenas e ela é menos estável, eu não consigo fazer outra coisa além de tocar o chão, ainda que com as pontas dos pés, pra dar mais segurança nessas manobras. Valeu!

  16. Eu já usava desta forma a altura do selim, acabei fazendo no teste mesmo e dps li sobre as vantagens e o rendimento que se ganha com isso. Estava preocupado pois tenho uma 29er de quadro 17 e eu tenho 1,87 de altura iniciamente a bike era muito pequena para mim mas acabei fazendo um FIT caseiro e a bike se adequou muito bem ao meu tamanho e ao desempenho que proponho pra ela. Ficou até mais gostoso de andar de bike dps que passei a usar desta forma. Sim descer do selim na hora de parar a bike foi um problema no início agora é muito tranquilo, quase que automático. Vlw pelas informações cara o importante é a galera curtir e sentir bem em cima da bike! =D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s